Corrupção na FIFA

Suíça bloqueia 317 milhões de reais da FIFA

Dinheiro está depositado em treze contas bancárias que ficarão bloqueadas

Blatter entre notas que foram lançadas em um protesto.
Blatter entre notas que foram lançadas em um protesto.FABRICE COFFRINI (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

Se ao final do procedimento judicial as autoridades de justiça dos EUA decidirem pelo confisco definitivo, elas poderão requisitar o valor patrimonial, explicou o órgão público da Suíça.

Dentro dessas mesmas investigações, a Suíça transmitiu aos Estados Unidos as primeiras evidências pedidas por este país para continuar com seu procedimento penal contra membros do alto escalão da FIFA. Os documentos entregues se referem a contas bancárias através das quais teriam passado suborno pagos por empresas para receber direitos de comercialização e difusão de diversos torneiros de futebol organizados na América Latina e Estados Unidos. A Promotoria Geral dos EUA mencionou subornos de centenas de milhões de dólares.

Ao longo dessa investigação, para a qual as autoridades norte-americanas pediram a cooperação judicial da Suíça no começo de março, o Ministério suíço da Justiça reuniu numerosos documentos bancários. “São documentos ligados a cinquenta contas em dez bancos diferentes e pelas quais teriam passado subornos para membros do alto escalão da FIFA”, disse a entidade em um comunicado.

Os EUA também pediram à Suíça que envie os expedientes relativos a uma antiga investigação penal contra dirigentes da FIFA, mas que foi encerrada em 2010, por acreditarem que essas informações reunidas à época podem ser úteis.

Quatro dos nove dirigentes da FIFA presos em 27 de maio e 3 de dezembro em Zurique foram extraditados aos EUA e um ao Uruguai, seu país de origem. Outros três esperam uma decisão final da justiça na prisão do Tribunal Federal da Suíça, que examina uma apelação apresentada por eles contra uma autorização inicial de extradição. No último caso, a Suíça ainda espera o pedido formal de extradição por parte dos EUA.

Arquivado Em: