Ataque embaixada espanhola no Afeganistão

Atentado terrorista atinge Embaixada espanhola em Cabul e mata policial

Um espanhol morto e nove afegãos feridos. Segundo Rajoy, embaixada não era o alvo

REUTERS LIVE (reuters_live)

A Embaixada da Espanha em Cabul, no Afeganistão, foi atingida por um ataque terrorista nesta sexta-feira, segundo confirmado pelo Ministério de Relações Exteriores, e pelo menos um policial espanhol morreu como consequência. O ataque também deixou nove afegãos feridos. O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy disse que todos os servidores públicos da representação diplomática "foram libertados". "As pessoas estão bem", assegurou o presidente do Governo, que espera que esta informação se confirme em breve. Na contramão do que se assegurou inicialmente, acrescentou, o objetivo do ataque não seria a Embaixada espanhola. Antes de comparecer diante dos meios de comunicação, Rajoy falou com o líder do PSOE, Pedro Sánchez; o do Podemos, Pablo Iglesias, e o presidente do País Basco, Íñigo Urkullu. Espera fazê-lo também com o resto de partidos.

MAIS INFORMAÇÕES

O Ministério de Exteriores confirmou que a Embaixada espanhola na capital afegã foi afetada pelo atentado de um grupo de talibãs. A polícia de Cabul, por sua vez, afirma que há ao menos nove civis feridos, em princípio de nacionalidade afegã. O ataque começou às 18h no horário local, na área de Sherpor, onde se concentram embaixadas e edifícios governamentais. A Embaixada da Espanha está protegida pela Unidade de Intervenção da Polícia (UIP). O chefe do Departamento de Investigação Criminal da Polícia de Cabul, Faraidoon Obaidi, disse que alguns seguranças das embaixadas da região estão fazendo disparos para cima, causando “confusão” na área.

Imagens gravadas pela rede afegã 1TV Kabul

O porta-voz do Ministério do Interior afegão, Sediq Sediqqi, disse que a explosão foi provocada por um carro-bomba detonado “nas proximidades da área de Shir Pur”. “Estamos trabalhando para conseguir mais detalhes”, acrescentou em sua conta do Twitter. As forças de segurança fecharam o acesso à região e ambulâncias foram enviadas.

“Por enquanto temos somente nove feridos, todos civis atingidos pela explosão, não pelo tiroteio posterior”, disse Obaidi. O Talibã reivindicou a autoria do atentado. Através de uma mensagem no Twitter, seu porta-voz, Zabihullah Mujahid, disse que o ataque foi obra de um suicida e deixou numerosas vítimas. “A guerra continua a todo vapor”, frisou.

A agência afegã Pajhwok informou que pelo menos duas pessoas morreram, enquanto a ONG italiana Emergency disse que seu hospital, situado a 700 metros da embaixada, recebeu sete pacientes afegãos.

A Espanha mantém um contingente de 21 militares no quartel-general da missão Resolute Support da OTAN na capital do Afeganistão, que realizam sobretudo trabalhos de assessoria ao Exército do país. Desde 2002 os militares espanhóis fazem parte das operações da OTAN no Afeganistão para manter a estabilidade após a queda do regime do Talibã e assessorar as forças afegãs a realizar sua própria segurança.

Essa foi uma das missões internacionais que mais exigiram recursos das Forças Armadas Espanholas (chegaram a ter até 1.500 militares mobilizados simultaneamente) e a que mais baixas registrou: 100 militares perderam a vida em combates e atentados ao longo de 13 anos de missão.

O ataque em Cabul ocorre dias depois do Talibã assediar o aeroporto de Kandahar durante 27 horas, a maior base militar no sul do Afeganistão. Pelo menos 50 pessoas morreram nesse ataque quando 11 terroristas suicidas invadiram o completo e fizeram reféns.