Seleccione Edição
Login

Google homenageia seu precursor George Boole, que completa 200 anos

Buscador dedica um ‘doodle’ ao matemático inglês, cujos estudos sobre álgebra estão na base da computação moderna

George Boole
O matemático George Boole.

O Google dedica seu doodle desta segunda-feira a um matemático: George Boole. A razão é que se completam 200 anos do nascimento desse inglês, inventor de uma álgebra que fundamenta toda a aritmética computacional moderna, incluindo o mecanismo de busca de informação do próprio Google.

Os princípios lógicos concebidos há século e meio, na maturidade da carreira de Boole como matemático, foram essenciais para a evolução do aparato teórico da atual programação informática. Seu achado é conhecido como álgebra de Boole, ou álgebra booleana, e suas aplicações podem ser vistas atualmente em atividades cotidianas, como os videogames, aplicativos e softwares que fazem parte das nossas vidas.

A álgebra booleana consiste na esquematização de enunciados básicos empregando uma aritmética binária. Ele mesmo resumiu seu achado numa frase simples e abstrata: “As interpretações respectivas dos símbolos 0 e 1 no sistema lógico são nada e universo”. Essa engrenagem, tão básica como a distinção entre sim e não, está na raiz matemática da programação mais complexa, e quando apertamos enter no Google após digitar, digamos, “Neymar”, “o tempo em São Paulo” ou “crise política Brasil”, entra em ação um mecanismo de busca no qual a engenhosidade matemática de George Boole está presente.

O doodle (logotipo do Google alusivo a determinada comemoração) faz referência à álgebra booleana pendurando em cada letra divisões binárias: x AND y, x XOR y, x OR y...

A publicação mais importante de Boole em vida foi a Investigação Sobre as Leis do Pensamento, de 1854. Na época, não teve maior repercussão, mas 70 anos depois o matemático norte-americano Claude Elwood Shannon a resgatou e percebeu sua importância.

George Boole - Doodle de Google ampliar foto
O ‘doodle’ do Google.

Boole lecionou no Queen College de Cork, na Irlanda. De origem modesta (seu pai foi um humilde comerciante), destacou-se desde criança pela inteligência, embora inicialmente em Humanidades. Quando adolescente, já falava, além do seu inglês materno, alemão, francês, espanhol, italiano e, obviamente, latim. O matemático foi casado com Mary Everest, sobrinha de George Everest, o topógrafo que deu nome à maior montanha do mundo. O precursor do Google morreu em 8 de dezembro de 1864, de doença pulmonar, após apanhar uma chuva a caminho das suas aulas.

MAIS INFORMAÇÕES