Anarquistas contra ‘hipsters’ nos bairros populares de Londres

Movimento contra o aumento de aluguéis em zonas humildes ataca um café da moda

O movimento antigentrificação assume um protagonismo cada vez maior em Londres. Esses grupos de caráter anarquista criticam a compra de empresas e moradias em bairros humildes, que apesar de revitalizar a zona, eleva o custo de vida de tal forma que acaba expulsando as famílias mais pobres. A gentrificação, que vem do inglês gentry (burguês), poderia traduzir-se como uma elitização dos bairros humildes e é própria das cidades anglo-saxãs, embora também ocorra outras regiões da Europa e até no Brasil.

Mais informações

No caso londrino, os anarquistas atacaram no sábado o Cereal Killer Cafe, uma bem-sucedida loja de cereais matinais em Shoreditch, tradicional bairro operário. Um dos encarregados da empresa criou polêmica ao pedir para um jornalista do Channel 4 interromper uma entrevista em que questionava o preço de suas tigelas de cereais (20 reais) nessa área empobrecida de Londres. Agora o movimento marcou como alvo o museu de Jack o Estripador, onde protestarão no próximo domingo contra a “glorificação da violência sexual”. Recentemente, o espaço gerou indignação porque, antes de inaugurar se anunciou como um museu sobre as conquistas das mulheres, mas abriu com uma exposição sobre o maior assassino de mulheres da história de Londres.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: