Brasileiros se destacam entre os latinos de sucesso do Vale do Silício

Hugo Barra e Alex Kipman estão entre os 20 maiores empreendedores da América Latina

Hugo Barra, vice-presidente internacional de Xiaomi.
Hugo Barra, vice-presidente internacional de Xiaomi. (Divulgação)

O Vale do Silício tem um problema que tenta enfrentar com cotas, bolsas de estudos e cuidado nas contratações: a uniformidade. A maioria dos trabalhadores vem das grandes universidade dos Estados Unidos e são escassos os profissionais latinos ou negros. Eles não passam de 30% do total. Já as mulheres ocupam menos de 10% dos perfis técnicos.

O site Cnet em Espanhol, especializado em tecnologia, reconheceu pela terceira vez as pessoas que, por seu trabalho no setor, se tornaram profissionais de vanguarda e servem de exemplo para quem está lutando para traçar o próprio caminho. Na lista se destacam dois brasileiros, Hugo Barra, dissidente do Google e atualmente vice-presidente da Xiaomi, empresa que acabou de lançar seu primeiro smartphone no Brasil, e Alex Kipman, fundador do Kinect, um sensor de movimento utilizado pelos videogames da Microsoft.

MAIS INFORMAÇÕES

Gabriel Sama, diretor e promotor da iniciativa, ressalta o valor desses perfis: “Não é nada fácil encontrar latinos na indústria de tecnologia nos Estados Unidos, mas conseguimos reunir pelo terceiro ano consecutivo uma lista de 20 profissionais hispânicos que representam o melhor do setor graças a sua inteligência, perseverança, criatividade e liderança”, afirma.

Desde a criação desse prêmio, em 2013, mais pessoas têm se destacado, mas ainda está longe de ser norma que um empresário no Vale do Silício que tenha crescido falando espanhol ou português assuma um cargo de liderança na região. “Quando iniciamos este processo em 2013 foi muito fácil elencar a primeira geração de latinos destacados, mas com os anos nos demos conta de que, efetivamente, há uma falta de latinos em cargos executivos do Vale do Silício e não é fácil achar esses profissionais. Os integrantes da lista de 2015 estão aí por méritos próprios; todos são extremamente destacados e líderes em suas respectivas áreas”, salienta Sama.

No ano passado os protagonistas, em grande parte, estavam envolvidos no campo dos dispositivos móveis de uso pessoal. “Na lista de 2015 destacavam-se empresários e engenheiros em áreas como drones e realidade virtual e aumentada, que são temas muito em voga atualmente”, afirma Sama.

Conheça os 20 empresários da América Latina e da Espanha mais influentes em tecnologia em 2015:

1. Alicia Abella, vice-presidente de serviços e tecnologia em nuvem da AT&T. De origem cubana, é engenheira formada pela Universidade de Columbia. Não só pretende mudar a imagem do engenheiro “tradicional”, como também aumentar a diversidade dos rostos que integram o setor das ciências, engenharia, tecnologia e matemática.

2. Cindy Álvarez, diretora da Yammer. Psicóloga pela Universidade de Harvard, descobriu a paixão pela informática quando era estudante. A fusão entre a psicologia e a informática a levou ao campo da interação entre os usuários de tecnologia.

3. Thaddeus Arroyo, presidente executivo da AT&T México. Um veterano da indústria cuja obsessão é melhorar a infraestrutura sem fio do México, seu país de origem.

4. Alfredo Ayala, líder da equipe técnica de investigação e desenvolvimento da Walt Disney. Seu começo como engenheiro químico o levou a investigar novas fórmulas de sucesso para sua empresa. De origem mexicana, é considerado o Steve Jobs latino.

5. Hugo Barra, vice-presidente internacional da Xiaomi. Nascido no Brasil, também é fluente em inglês e espanhol. Foi o vice-presidente do Android no Google, até dar o salto para a China. É o porta-voz e responsável pela expansão global da empresa de celulares que mais cresce no mundo. Em junho, a empresa lançou seu primeiro smartphone no Brasil.

6. Arturo Béjar, foi diretor de engenharia do Facebook e atualmente é o especialista responsável por temas de engajamento na rede social. Seu trabalho é, basicamente, evitar que 1,3 bilhão de usuários propaguem bullying cibernético pela rede.

7. Rafael Camargo, líder do projeto de celulares modulares do Google. Andaluz de 51 anos, é veterano da Motorola, a inventora do celular. Project Ara, sua nova missão, pretende levar a cabo uma revolução similar.

8. Marcelo Claure, presidente executivo da Sprint. É o responsável pela terceira maior operadora dos Estados Unidos, fundada por ele há 17 anos. De origem boliviana, sabe que a telefonia sem fio é o futuro da América Latina.

9. Leandro Graciá Gil, líder do Cardboard Project do Google, um projeto de óculos de realidade virtual de baixo custo. Com mais de 20 engenheiros subordinados a ele, encarrega-se de levar esse conceito a todo o mundo. Sua obsessão atual é impulsionar a criação de conteúdo nesse formato.

10. Alex Kipman, o "mago brasileiro" por trás do Kinect, um sensor sem fio de vídeo games da Microsoft. Engenheiro nascido em Curitiba, considera a programação uma forma de expressão artística.

11. Ramiro López Dau, diretor de animações da Oculus VR. Depois de trabalhar na Pixar, em filmes como Monsters University, o argentino de 33 anos aposta no sistema de realidade virtual do Facebook.

12. Pilar Manchón, diretora de inteligência digital da Intel. Espanhola, ocupa o cargo desde 2013. Chegou à fabricante de chips depois que compraram sua start up Indisys, assistente virtual fundado por ela em sua cidade natal, Sevilha.

13. Andrés Martínez, diretor do projeto Sphere, da Nasa. Mexicano de Morelos, é um especialista em propulsão. Sua missão é voltada para a criação de pequenos satélites para estudar a biologia do espaço.

14. Evelyn Miralles, engenheira líder do laboratório de realidade virtual da Nasa. Nascida na Venezuela, faz simulações na sede de Houston para assegurar que os astronautas serão capazes de lidar com qualquer situação.

15. Jordi Muñoz, cofundador da 3D Robotics. O mexicano fundou sua própria empresa de drones na Universidade de Berkeley, em 2009.

16. Rafael Reif, presidente do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT). De sua posição privilegiada na instituição acadêmica, o venezuelano luta para tornar o campus mais diversificado, com estudantes de origens diferentes.

17. Ileana Rivera, diretora sênior da Cisco. Nascida em Porto Rico, se encarrega de decidir quais celulares, tablets, telefones e equipamentos serão utilizados pelos funcionários de uma das empresas mais antigas do Vale do Silício.

18. Luis Sosa, presidente executivo e fundador da DDM Brands. O venezuelano é um dos grandes conhecedores do mundo dos celulares. Envolvido no Project Ara do Google, sua nova missão é fazer os celulares tirarem fotos e vídeos esféricos.

19. Silvia Vásquez-Lavado, principal executiva de tecnologia empresarial e sistemas financeiros no Paypal. Responsável pela última reestruturação da empresa que revolucionou os pagamentos online, a peruana combina seu trabalho com um projeto de ajuda a garotas vítimas de abusos e violência física.

20. Marcos Weskamp, cofundador da Flipboard. O diretor de design argentino revolucionou as revistas online e a forma de consumo de conteúdo em celulares e tablets.

Arquivado Em: