Crise Política na Guatemala

Presidente da Guatemala renuncia após escândalo de corrupção

Congresso do país havia aprovado na terça a perda de imunidade de Otto Pérez Molina

REUTERS (reuters-live)

O presidente da Guatemala, Otto Pérez Molina, apresentou seu pedido de renúncia, adiantou a France Press. O mandatário, envolvido em um escândalo de corrupção alfandegária, deixará o cargo após ser alvo de um mandado de prisão. O Congresso do país centro-americano já havia suspendido na terça-feira a imunidade do presidente. A Guatemala vive uma grande crise política, às vésperas das eleições legislativas de domingo.

Segundo a procuradora-geral Thelma Aldana, o Ministério Público solicitou a ordem de prisão à Segunda Vara de Processos de Alto Risco, encarregada do caso conhecido como La Línea, uma rede de fraude alfandegária que, de acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público e a Comissão Internacional Contra a Impunidade na Guatemala (CICIG), era liderada pelo presidente. O tribunal confirmou a expedição do mandado solicitado pelos procuradores, que acusam o ex-general de formação de quadrilha, suborno e fraude alfandegária.

Mais informações

Pérez Molina renuncia um dia depois de o Congresso (unicameral) privá-lo da imunidade inerente ao cargo. A defesa do ainda presidente informou que ele se apresentará espontaneamente ao juiz às 8h desta quinta-feira (11h em Brasília).

Numa entrevista ao Canal Antigua, Aldana observou que caberá ao juiz executar ou não a ordem de prisão. A outra possibilidade é que ele seja ouvido em audiência e permaneça em liberdade.

“Deve-se respeitar o princípio universal de presunção de inocência”, disse Aldana, reiterando, no entanto, que é preocupante haver processos contra o presidente e a seu ex-vice, Roxana Baldetti, que foi transferida na quarta-feira da guarnição militar onde permanecia detida, com toda comodidade, para a prisão feminina de Santa Teresa, onde ficará na companhia de presas comuns.

A transferência de Baldetti foi comemorada por centenas de pessoas, que inclusive soltaram rojões à passagem do veículo que a levou à nova prisão.