Seleccione Edição
Login

Hollande entrega Legião de Honra aos heróis do atentado a trem na França

França dá seu maior reconhecimento aos passageiros que dominaram Ayoub El Khazzani

O presidente francês François Hollande prestou homenagem, na manhã desta segunda-feira, dia 24, no Palácio Eliseu, aos heróis que na sexta-feira anterior evitaram uma “tragédia, um massacre” a bordo do trem de alta velocidade entre Amsterdã e Paris. Em seguida, entregou a Legião de Honra, o maior reconhecimento do país, aos três norte-americanos, os soldados Spencer Stone e Alek Skarlatos e o estudante Anthony Sadler, de 22 e 23 anos, e ao consultor britânico Chris Norman, de 62 anos. São quatro dos passageiros que conseguiram dominar e amarrar o suposto terrorista Ayoub El Khazzani, armado com um fuzil Kalashnikov, uma pistola e um estilete, quando se preparava para realizar um atentado contra o trem.

“Na sexta-feira à tarde, um indivíduo tinha decidido cometer um atentado” a bordo desse trem no qual por acaso reuniram-se no mesmo vagão os quatro homenageados, relembrou o presidente Hollande. “Dispunha de armas e munições suficientes para perpetrar um verdadeiro massacre”, afirmou o governante, que disse que o suposto terrorista levava consigo 300 munições e que mais de 500 pessoas viajavam no trem. “Teria conseguido se não tivesse sido dominado por vocês, que puseram em risco a própria vida”. Os quatro, lembrou, enfrentaram desarmados, com as próprias mãos, um “terrorista” decidido e fortemente armado.

“O heroísmo de vocês é um exemplo para todos”, afirmou Hollande. “Diante do mal, o terrorismo, está o bem, o da humanidade, que vocês representam”, continuou. “Vocês arriscaram a própria vida para defender o ideal da liberdade”, acrescentou, relembrando que os dois soltados estavam de férias, longe de suas casas – os três amigos viajavam pela Europa – e que os demais passageiros “provavelmente nunca tinham visto um Kalashnikov”. “Vocês nos lembraram de que só venceremos o terrorismo lutando juntos”, concluiu o presidente.

Os três jovens tinham chegado ao Eliseu em um veículo da embaixada norte-americana, acompanhados de suas mães, que viajaram a Paris para a ocasião, os três vestidos com calças claras e camisetas tipo polo coloridas. O rosto de Spencer, que o atacante feriu com um estilete e que tinha o braço esquerdo enfaixado, mostrava os sinais da luta, com uma cicatriz no olho direito. Também assistiram à cerimônia o primeiro-ministro belga, Charles Michel, os responsáveis pelas embaixadas dos Estados Unidos, Reino Unido e Bélgica e o primeiro-ministro, Manuel Valls.

Hollande também prestou homenagem ao passageiro francês que foi o primeiro a cruzar com El Khazzani depois de armado. Tentou detê-lo em vão, deu o alerta ao resto dos passageiros e em seguida os heróis intervieram. O francês não foi à cerimônia pois preferiu manter o anonimato. Segundo vários meios de comunicação, é um jovem de 28 anos, funcionário de um banco francês em Amsterdã. Também não estava presente o franco-americano Mark Moogalian, de 51 anos, ferido a bala durante o ataque, que continuava internado no hospital de Lille, no norte da França. Ambos serão igualmente condecorados com a Legião de Honra.

MAIS INFORMAÇÕES