Estado Islâmico

‘Reality’ leva australianos à guerra contra o Estado Islâmico

Programa pretende conscientizar sobre a dura realidade dos refugiados sírios

Um programa de televisão australiano permite aos seus participantes ter a experiência do que é a guerra da Síria e a luta armada entre o Estado Islâmico e as milícias curdas. O reality Go Back to Where you Came From (Volte para o lugar de onde veio) pretende conscientizar os espectadores sobre a dura realidade das pessoas que fogem do conflito sírio e que pedem asilo na Austrália.

Para realizá-lo, a rede de televisão pública SBS levou os participantes e a equipe de gravação ao povoado de Al Rauiya, ao norte da Síria. O vídeo promocional do programa transmitido nessa semana mostra como os australianos entram no local sob a proteção das milícias curdas. Ao chegar à escola, começam a ouvir disparos de morteiro e se retiram assustados. “Estão vindo para cá”, diz seu guia que, como os outros participantes, está equipado com colete à prova de balas, mas sem capacete. “Mantenham a cabeça baixa”, ordena enquanto avança agachado. “Não queremos que saibam que estamos aqui”, finaliza.

Mais informações

Em um comunicado, a SBS confirmou que os participantes se encontravam a menos de um quilômetro de um posto controlado pelo Estado Islâmico, mas frisou que a segurança do pessoal da rede de televisão e da produtora CJZ “sempre foi primordial”. “A situação filmada pela câmera na qual disparam no grupo não foi planejada, mas não era inesperada em uma zona de guerra. A equipe de segurança armada estava preparada para uma situação dessas e rapidamente levou os participantes a um lugar seguro”, finalizou.

A rede de televisão revelou que pelo menos um membro da equipe de gravação se recusou a participar da filmagem por questões de segurança. “Os participantes e a equipe tiveram a escolha de continuar ou não sem que isso comprometesse seu papel no programa ou seu emprego, respectivamente”, explicou a SBS. Apesar “dos produtores terem seguido todas as instruções da equipe de segurança”, esta “não ordenou aos participantes e à equipe que usassem capacete”.

O programa, gravado em outubro de 2014, é exibido em um momento especialmente tenso para a Austrália. O governo confirmou que dezenas de jovens se uniram ao Estado Islâmico e estuda a aprovação de leis que permitirão retirar a nacionalidade de australianos que lutaram junto a grupos terroristas.

Por outro lado, aumenta a pressão da comunidade internacional sobre as autoridades australianas para que suavizem sua política de tolerância zero aos pedidos de asilo. A Austrália é o único país do mundo que detém quem chega em seu litoral de barco e os prende em campos de refugiados fora de seu território, nas remotas ilhas do Pacífico de Manus, Nauru e Christmas.

O programa da rede de televisão SBS pretende conscientizar os telespectadores sobre as razões que levam milhares de pessoas a abandonar seus países de origem e realizar a perigosa viagem de barco até a Austrália. Mas essa polêmica incursão em território sírio desviou a atenção da opinião pública ao debate sobre os limites desse tipo de programas.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50