“Mãe Emanuel”, uma igreja histórica para os afro-americanos

O templo, onde nove pessoas foram assassinadas, é o mais antigo no sul de EUA

A igreja de Emanuel cercada pela polícia depois do ataque.
A igreja de Emanuel cercada pela polícia depois do ataque.David Goldman (AP)

O ataque à Igreja Africana Metodista Episcopal (AME, na sigla em inglês) de Emanuel, em Charleston, ocorrido na noite de quarta-feira, quando um homem abriu fogo no interior do templo e matou nove pessoas, teve como alvo um dos símbolos da comunidade afro-americana dos Estados Unidos. Conhecida como Mãe Emanuel e fundada em 1816 pelo líder abolicionista Morris Brown, ela é a mais antiga das igrejas metodistas do sul dos Estados Unidos, que teriam sete milhões de fiéis.

Mais informações

A Igreja Emanuel de Charleston, na Carolina do Sul, foi a primeira que a AME construiu fora da Filadélfia, onde o movimento surgiu com Richard Allen, que nasceu escravo. Em 1787, depois de comprar sua liberdade, ele fundou a Sociedade Livre Americana, que seguia a doutrina metodista, e fundou a igreja.

Desde sua constituição, a igreja se converteu em símbolo da luta contra a escravidão. Em 1822 o templo foi investigado por sua participação em uma revolta de escravos em Charleston. O reverendo Denmark Vesey, ao lado de Morris Brown um dos fundadores da igreja, organizou uma rebelião de escravos na capital da Carolina do Sul, embora a participação de Brown nunca tenha sido comprovada.

Como consequência da revolta, a igreja de Emanuel foi queimada, mas os serviços religiosos continuaram a ser celebrados até as igrejas negras serem proibidas, em 1834. Apesar do veto, os fiéis levaram sua tradição adiante na clandestinidade. Em 1865 eles se organizaram formalmente e a igreja adotou o nome de Emanuel, que significa “Deus está conosco”.

Em 1872 a igreja foi reconstruída em madeira no local que ainda ocupa hoje, mas a construção não sobreviveu ao terremoto devastador de 31 de agosto de 1886. O prédio atual, de tijolos e com painéis de mármore, foi completado em 1891.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: