Seleccione Edição
Login

Facebook anuncia Internet grátis no Panamá

Zuckerberg: país será o próximo com acesso gratuito a serviços da rede pelo Internet.org

O Panamá está vivendo dias de glória. A Cúpula das Américas colocou o país no centro do universo político, a revista científica Science definiu-o como o elo geológico do continente e, para coroar a ascensão, o mago das redes sociais, Mark Zuckerberg, anuncia que o país será o próximo a ter acesso gratuito a serviços essenciais na rede pelo domínio Internet.org, a última iniciativa do fundador do Facebook.

Essa nova aplicação se enquadra em um ambicioso plano de longo prazo para abrir as portas da internet a 2,7 bilhões de pessoas em regiões emergentes ou pouco desenvolvidas. Três países africanos —Tanzânia, Zâmbia e Quênia— já dispõem dela e, na América Latina, foram escolhidos Colômbia, Guatemala e agora Panamá. O objetivo estratégico inclui também o sudeste asiático.

A aplicação oferece uma série de serviços básicos adaptados a celulares de baixo custo, com buscador, Wikipedia e outras ferramentas. A partir dessa base, é possível ter acesso a todo o potencial da Internet, mas não gratuitamente.

Zuckerberg, que tornou público seu plano durante a II Cúpula Empresarial das Américas, um fórum paralelo à grande reunião de chefes de Estado e de Governo, destacou que sua intenção é oferecer sem custo serviços essenciais relacionados a saúde, segurança, transporte e educação. Para o desenvolvimento do projeto, contará com apoio governamental. “O acesso à informação, o aumento da participação no conhecimento e a melhoria dos serviços fazem parte das políticas de Estado, e este é um passo para atingir essas metas”, afirmou o presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, presente no ato.

O Facebook conta com cerca de 890 milhões de usuários. Seu criador, de 30 anos e com uma fortuna de 30 bilhões de dólares, está buscando com essa iniciativa se tornar uma figura filantrópica, distante de seu início atribulado. Um guru no auge do sucesso demonstra sua preocupação com os esquecidos. Seu projeto até agora teve uma excelente acolhida nos países em que foi apresentado.

MAIS INFORMAÇÕES