5 cenas de ‘Vale Tudo’ em que Gilberto Braga explica o Brasil

O autor do clássico que volta ao ar no Viva no aniversário de 30 anos é mestre em trazer o bode para a sala brasileira

Não é de hoje que Gilberto Braga traz o bode para a sala brasileira. Um dos mais célebres autores de novelas no Brasil está no ar de novo, a partir desta segunda-feira, com seu clássico dos clássicos: Vale Tudo volta às telas do canal a cabo Viva para comemorar 30 anos. "Brasil, mostra sua cara", grita a Gal Costa na abertura, que soa tão atual e reacende a sociologia de boteco: afinal, o Brasil mudou ou não nestas três décadas? Seria possível uma vilã como Odete Roitman hoje em dia?

Mais informações

Um guia básico de Vale Tudo em cinco cenas.

1 - "Isso que a senhora nunca vai entender na vida. Andar de ônibus sai muito mais caro"

Maria de Fátima é a vilã emblemática vivida por Glória Pires. Numa cena de fazer corar qualquer militante do MPL (Movimento Passe Livre), Maria de Fátima explica para a mãe porque não pega bem pegar ônibus no Brasil. A cena inteira vale, mas a frase do título é no minuto 3m34.

2 -  "O dólar a 300?" "Essa gente horrível no ponto de ônibus?"

Em 1988, a vilã das vilãs Odete Roitman chega irritadíssima ao Brasil. Como pode o dólar a 300 (cruzeiros)? E essa gente feia? Agora imagine a Odete, que adorava esculachar os empregados, no pós-Lula e tente pensar quanto barulho ela estaria fazendo. Como escreveu Flavio Moura nesse artigo, comentando um curso para "atualização para empregadas" no Rio, não parece que as Odetes acabaram.

3 - "Uma linha aérea ligando nada a coisa nenhuma?"

Essa é um combo. Começa com Odete reclamando: "Nordeste antes do jantar?", numa atitude ainda replicada sem nenhuma vergonha e muito menos sarcasmo. Aí ela é alertada de um caso de suposto favorecimento na criação de uma linha aérea para uma cidade no meio do nada (não faz muito que a construção de um aeroporto fez barulho na política brasileira). "Acontece que o Renato é um grande proprietário de terras nessa região", explica o filho de Odete.

4 - Uma banana para o Brasil

Conhecido e debatido, mas essencial sempre: era o Brasil dos anos Sarney, ainda engatinhando na democracia. E Gal Costa gritava "Brasil mostra a sua cara" na abertura de Vale Tudo. O corrupto do colarinho branco, Marco Aurélio, fugia do Brasil enquanto os peixes pequenos eram presos.  Clássico é clássico.

5 - "O fato de vocês morarem juntas há dez anos legalmente não quer dizer nada!"

Em 1989, Gilberto Braga discutia com o casal Laís e Cecília, donas de uma pousada em Búzios, a falta que fazia uma lei para união civil de casais homossexuais. A brecha legal dá um nó na trama. Essa mudança já foi (no Supremo, já que no Congresso seria algo mais difícil). Ainda bem.