Jornalismo

NBC suspende âncora Brian Williams por seis meses

Principal apresentador da rede mentiu em relato sobre incidente no Iraque Executivo da emissora considera que ele merece uma nova chance

O apresentador Brian Williams, da NBC.
O apresentador Brian Williams, da NBC.ROBYN BECK (AFP)

O futuro de Brian Williams à frente do telejornal noturno da NBC está em xeque depois que a rede anunciou a suspensão do jornalista por seis meses, sem direito a salário. O apresentador do Nightly News admitiu publicamente há uma semana que falseou durante 12 anos um incidente ocorrido em meio à invasão do Iraque. Williams já comunicou no sábado que se afastaria por alguns dias e esperava voltar. Steve Burke, vice-presidente do grupo Comcast e presidente da NBC Universal, matriz da NBC News, afirmou que o titular do telejornal “merece uma segunda chance”.

MAIS INFORMAÇÕES

A popularidade do jornalista, astro dos telejornais noturnos dos EUA, desmoronou em poucos dias por causa da revelação de que exagerou seu relato, incluindo-se entre os ocupantes de um helicóptero atacado por militantes iraquianos – embora na realidade ele estivesse em outra aeronave, que não foi atingida.

Antes do escândalo, ele se encontrava entre as 25 pessoas com mais credibilidade para o público. Agora, caiu para a 835ª. posição. Enquanto isso, a emissora iniciou uma investigação interna para determinar a veracidade das histórias que Williams contou em primeira pessoa, como por ocasião do furacão Katrina. Na prática, a suspensão significa uma multa de cinco milhões de dólares, na forma de salários não recebidos.

Williams, de 55 anos, pediu desculpas por ter afirmado durante anos que seu helicóptero foi alcançado por fogo inimigo. Justificou sua retirada temporária admitindo que, devido a suas ações, estava ele próprio se transformando em notícia. O mundo jornalístico se perguntou por que ele precisou contar uma mentira dessas. Até agora, o âncora acreditava que poderia recuperar a confiança do público se voltasse às suas funções.

Deborah Turness, presidenta da NBC News, insinuou que houve outras ocasiões em que Williams contou, dentro e fora dos telejornais, relatos que não se ajustavam à realidade. “Isso é ruim e é completamente inapropriado para alguém em seu cargo”, afirmou a executiva ao justificar a decisão da rede, salientando que Williams tem a responsabilidade, como apresentador e diretor do Nightly News, de “ser veraz e preservar em todo momento a integridade máxima da divisão de notícias”.

O principal telejornal da NBC é dirigido por Lester Holt, que continuará como substituto de Brian Williams no horário de maior audiência até que a rede determine o rumo a seguir nos estúdios do Rockefeller Center, em Nova York. A decisão não é fácil, porque é complicadíssimo encontrar um substituto permanente caso a NBC decida demitir Williams, que acaba de assinar um contrato de cinco anos e dez milhões de dólares anuais.

A investigação interna da rede prossegue. Turness insistiu que, por enquanto, seria equivocado ser “indiferente ao bom trabalho feito por Brian Williams” e à relação que ele forjou com a audiência durante duas décadas. “Milhões de norte-americanos se voltavam para ele a cada dia”, acrescenta. O jornalista continua sendo parte “importante e respeitada” da empresa, afirmou a presidenta da NBC News, emissora controlada pela Comcast.

Os diretores da rede consideram que a suspensão é uma ação “adequada” e “proporcional” a uma conduta que consideram “indesculpável”, pois colocou em risco a confiança de milhões de espectadores. O que Steve Burke não deixa claro é se essa segunda chance será à frente do telejornal da NBC. Ele faz questão, no entanto, de ressaltar que a divisão de jornalismo do canal estará à altura do desafio e continuará sendo capaz de dar notícias confiáveis à audiência.

Arquivado Em: