Crise hídrica em São Paulo

Sete motivos para (tentar) ver o copo meio cheio na crise da água

Banho "bolivariano", calças jeans perfeitas e sessão do novo 'Mad Max' a caráter

Frame do videoclipe da marchinha "Sereia da Cantareira".
Frame do videoclipe da marchinha "Sereia da Cantareira".Reprodução

Três dos principais Estados brasileiros passam por sua maior crise hídrica e, no pior cenário, os moradores de São Paulo, o Estado mais rico do país, podem ficar até cinco dias por semana sem água.

Como os Governos responsáveis por cuidar do assunto não souberam ou conseguiram se preparar para evitar o risco de racionamento, divulgaram as informações a conta-gotas e agora revelam cenários assustadores, restará aos afetados aprender a conviver com a escassez até que as chuvas resolvam voltar.

Para ajudar na tarefa, o EL PAÍS reuniu, abaixo, sete motivos para tentar aproveitar de alguma forma (e sem perder o bom-humor) a crise hídrica:

Cabelo sujo é tendência

Aparentemente, cabelo sujo é a nova moda na Europa. Ou nos Estados Unidos. Tanto faz, o fato é que grifes como Prada, Calvin Klein e Miu Miu têm levado às passarelas modelos com penteados emaranhados, desalinhados e, sobretudo, de aspecto sujo (em espanhol).

Economia de xampu

Se cabelo sujo não é a sua, uma alternativa é lavá-lo usando arroz. Basta triturar os grãos até que virem pó e passar a farinha de arroz na cabeça. Esse "xampu seco" é capaz de retirar a oleosidade do couro cabeludo, ao absorver o excesso de sebo. E custa menos que o xampu clássico.

Oportunidade: tente o “banho bolivariano”

O cenário atual também é uma boa oportunidade para colocar em prática, sem medo de repressões ideológicas, as dicas do finado ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, segundo quem três minutos de banho são o bastante para o próprio asseio:

É hora de criticar

A seca também é uma oportunidade para exercer a crítica política de forma lúdica — e ainda descolar uma fantasia para o Carnaval enquanto joga na cara dos amigos o voto da última eleição. “Sereia da Cantareira” promete virar hit no Carnaval deste ano, e (fica a dica) ainda não surgiram marchinhas sobre o assunto no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, que também enfrentam crise hídrica. Assista:

O repertório da conquista se amplia

O fator água também passa, a partir de agora, a contar na hora da paquera. Pelo menos em São Paulo, onde o Governo estipulou horários de rodízio para o abastecimento. Conhecer alguém de uma região que receberá água em horário alternado pode ser fundamental para agregar valor à relação.

Mad Max a caráter

Quem estiver com dificuldade de encontrar água em maio pode ir ao cinema assistir a Mad Max: Fúria da Estrada, quarto filme da série sobre uma futuro nem tão distante no qual a água vira motivo de guerras, a caráter, no melhor estilo empoeirado consagrado por Mel Gibson no primeiro capítulo da franquia, de 1979. E ninguém vai poder reclamar, porque provavelmente todos estarão na mesma situação.

Os jeans perfeitos

Lavar as calças jeans, principalmente se for nos primeiros anos de uso, pode prejudicá-las para sempre, segundo entendidos no assunto, como o estilista Tommy Hilfiger (em espanhol). O próprio CEO da Levi’s, Chip Bergh, aconselha aos clientes manter as peças da marca (uma das maiores do mundo) longe da lavadora.

Arquivado Em: