Enfermeira escocesa é diagnosticada com ebola

Paciente, infectada em Serra Leoa, foi levada a Glasgow para tratamento

Exterior do centro sanitário onde está sendo tratado o paciente.AFP / Atlas (atlas)

Uma enfermeira escocesa, cuja identidade não foi revelada, recebe tratamento em Glasgow depois de ter sido diagnosticada com o vírus ebola. A paciente, que estava em Serra Leoa, foi repatriada no último domingo à noite. O Governo de Edimburgo investiga o possível contato da enfermeira com outras pessoas, mas em uma mensagem na qual tenta tranquilizar a polpulação destaca que “o diagnóstico da doença nos primeiros estágios” permite apostar que “o risco para outros é extremamente baixo”.

Mais informações

A enfermeira, internada em uma unidade de isolamento do hospital Gartnavel desde sua chegada na segunda-feira pela manhã à cidade escocesa, será transferida, quando estiver em condições, a outro centro médico localizado ao norte de Londres, na Inglaterra, o Royal Free, especializado no tratamento de doenças infecciosas. Esse centro atendeu em meados do ano William Pooley, de 29 anos, o primeiro britânico contaminado por ebola na África Ocidental, e que recebeu alta semanas depois.

O caso de William Pooley, o segundo europeu a contrair a doença depois do missionário espanhol Miguel Pajares —que faleceu dias depois de sua repatriação a Madri—, não provocou um grande alarme no Reino Unido, e o Governo escocês espera que ocorra o mesmo com a divulgação do novo caso. Em um comunicado divulgado no fim da tarde, a administração autônoma garante que “todos os possíveis contatos da paciente (com outras pessoas) estão sendo investigados”.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: