Verne

Sim, tem gente que fez 'selfies' no sequestro de Sydney

Várias pessoas postaram imagens em rede sociais do local onde ocorreu o cerco

9:45 da manhã na cidade de Sídney. Um homem armado toma ao menos uma dezena de pessoas como reféns em um café no centro financeiro da capital australiana. As autoridades negociam com o sequestrador. Do lado de fora, alguns transeuntes fazem selfies com a cena de fundo. O cordão policial divide uma cena de terror de uma realidade arrepiante: um sequestro convertido em uma atração turística.

Selfies sozinhos. Selfies em grupo e sorrindo. Selfies em casal acompanhados do símbolo da vitória. Os usuários começaram a subir no Twitter e no Instagram suas imagens acompanhadas com a hashtag #sydneysiege (cerco de Sydney), utilizada para compartilhar conteúdo sobre o sequestro.

A situação chega ao absurdo quando um cidadão que não apenas posa sorridente e vitorioso, como aproveita para fazer publicidade de seu aplicativo.

Enquanto uns usuários mostra com verdadeiro orgulho seus selfies, outros falem em espanto e vergonha: “Selfies pouco oportunos”, “banalidade 2.0”, “os selfies da vergonha” são alguns dos comentários que aparecem no Twitter. “A vida segue”, justificam outros tuiteros.

Minutos após as imagens começarem a circular na Internet, os autores das imagens mais partilhadas as retiraram de seus perfis. Agora, ao entrar nas contas de Instagram de Lucasno15,  Nichlaspennies e Frednyamhunga, três dos usuários que mais vezes apareceram no Twitter durante a manhã, não se encontra mais as fotos deles posando em frente ao local do sequestro.

Arquivado Em: