A nova moda no Congresso brasileiro é discursar nas redes sociais

Vídeos de deputados e senadores alcançam até 18 milhões de visualizações no Facebook

Senadores olham telefone celular no plenário.
Senadores olham telefone celular no plenário.Lia de Paula (Agência Senado)

Um discurso na cabeça e uma câmera (de celular) na mão. O lema do Cinema Novo, cunhado por Glauber Rocha e levemente adaptado aqui, parece inspirar um grupo de parlamentares brasileiros que tem brindado as redes sociais com vídeos curtos feitos de dentro do Congresso Nacional. Com o próprio smartphone em punho ou com a ajuda de assessores, deputados e senadores tentam estender o discurso do parlamento a eleitores que não têm o costume de acompanhar o trabalho parlamentar por canais como as TVs Câmara ou Senado, e, se depender do grande interesse da audiência, contada na casa dos milhões, eles prometem seguir produzindo.

Mais informações

Numa das cenas mais eletrizantes da nova cinematografia congressual, o deputado Carlos Sampaio (PSDB) anda apressado pelos corredores de um dos anexos da Câmara para mostrar em close as correntes e cadeados que trancavam as portas da Casa do Povo para o povo que queria acompanhar uma das tumultuadas sessões de votação das alterações da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). “É uma vergonha nacional: trancaram as portas da Casa numa segunda-feira à noite por conta de uma manifestação contra a Dilma. Sessenta pessoas impedidas de entrar na Câmara Federal por ordem do presidente da Comissão de Orçamento”, diz o deputado, antes de questionar os seguranças da Câmara sobre o impedimento aos manifestantes que tentavam acompanhar a votação: “É essa a orientação da Casa? O presidente da Casa deu essa orientação?”, questiona Sampaio, batendo boca com o chefe da segurança.

O vídeo, postado pelo tucano em seu perfil no Facebook no dia 24 de novembro, conta quase 18 milhões de visualizações, 154 mil compartilhamentos e cerca de 10 mil comentários. “Me disseram que virou um ‘viral’. Foi uma fala de indignação muito sincera. Eu estava discutindo com os seguranças e me perguntaram: o que está acontecendo? Eu estava exaltado, indignado, nunca tinha visto isso [de fechar as portas] em 12 anos como parlamentar”, disse ao El PAÍS o deputado, que contou que o vídeo foi gravado de improviso por um fotógrafo da Câmara. Segundo Sampaio, o sucesso da gravação o anima, por indicar o envolvimento maior da população com as questões políticas do país. “A rede social é, sem duvida, o mais importante instrumento de comunicação da nossa fala, da nossa indignação, hoje”, diz o parlamentar, que não está sozinho em sua produção de vídeos.

Era 4h55min da manhã do dia 4 de dezembro quando o deputado Bruno Araújo reportava, direto do plenário da Câmara, em gravação postada em seu perfil no Facebook cinco minutos depois: “Estamos aqui no Congresso, resistimos. E, agora, parece que nós conseguimos vencer pelo cansaço a base do Governo: não há mais quórum entre os deputados federais e senadores, e conseguimos adiar para terça-feira da semana que vem o que seria uma vitória do Governo e uma derrota para a população brasileira, anistiando a presidente Dilma e permitindo que ela gaste além da capacidade do contribuinte”. Uma semana após aquela sessão de quase 19 horas de duração, os governistas finalmente conseguiram aprovar a LDO, mas a vitória parcial da oposição registrada por Araújo, que também tem publicado em suas redes sociais bastidores filmados da Câmara, como a visita do cantor Lobão, chegou a mais de um milhão de pessoas.

Popularizada pelo senador tucano Aécio Neves (PSDB) durante sua candidatura à Presidência, a disseminação de vídeos de Excelências pelas redes sociais já conta com adeptos há alguns meses. Um dos produtores mais antigos é o deputado Izalci, também do PSDB, que publica gravações desde junho passado, para prestar contas de seu mandato e amplificar o discurso de oposição. “O PLN 36 [que alterou a lei do orçamento] teve repercussão muito grande, porque fiz diversas gravações convocando a população para vir para cá. A gente precisa informar mais a população. Eles não sabiam como acompanhar, e esses vídeos têm despertado mais a curiosidade”, diz o parlamentar, que tenta postar novos vídeos todo dia.

E se oposição tem se mobilizado em esforços audiovisuais, a base do Governo não fica para trás. Líder do PT na Câmara, o deputado Henrique Fontana é um assíduo publicador de vídeos nas redes sociais, assim como o colega Alessandro Molon (PT) e o senador Lindberg Farias (PT). Em meio ao maior escândalo de corrupção da história do país, contudo, defender o Governo nas redes sociais tem se mostrado uma tarefa inglória, como atestam os comentários que acompanham as postagens dos parlamentares da base governista. Nesse caso, mais do que agradar ao público e à crítica, o desafio é não perder o foco.