Dilma diz que Brasil vai ajudar o Catar a organizar Copa do Mundo de 2022

Presidenta se ofereceu para "intercambiar experiências" para a realização da Copa de 2022

Dilma encontra o emir do Catar, xeque Tamim bin Hamad Al Thani.
Dilma encontra o emir do Catar, xeque Tamim bin Hamad Al Thani.R. Stuckert F. (PR)

A presidenta Dilma Rousseff ofereceu-se para "intercambiar experiências" com o Catar para a realização da Copa do Mundo de Futebol de 2022 no país árabe, formalizando assim o apoio do Brasil à organização do evento, apesar das persistentes polêmicas, relacionadas com as altas temperaturas que enfrentarão os jogadores e com as degradantes condições de trabalho dos operários, e também dos percalços por que passou a organização do evento no Brasil.

Mais informações

Em uma rápida visita ao Catar, Rousseff enfatizou que o país ajudará com sua experiência no evento esportivo contribuindo com tudo o que aprendeu na última Copa do Mundo, que recebeu da FIFA a nota 9,25, 0.25 a mais do que a nota atribuída à organização do evento pela África do Sul quatro anos antes. Apesar da nota alta e dos poucos incidentes durante a Copa do Mundo deste ano, a organização brasileira do evento foi criticada por entregar estádios muito custosos em cima da hora e por não conseguir deixar todo o legado de infraestrutura prometido antes do evento.

O tal "intercâmbio de experiências" mencionado por Rousseff já começou, contudo. Há alguns dias, o ministro de Esportes, Aldo Rebelo, participou do Doha Goals International Forum e, além disso, o emir Hamad bin Jalifa al Thani, com quem a presidenta mantêm tratativas no Catar, viajou para o Rio de Janeiro em julho para assistir à final da Copa entre Alemanha e Argentina.

Cooperação bilateral

No encontro, também foi discutida a interconexão no setor de transportes aéreos e a cooperação bilateral em terceiros países. Além disso, Rousseff agradeceu pessoalmente ao emir a realização do 'Ano da Cultura Brasil-Catar', evento que comemora os 40 anos de relações diplomáticas entre os dois países, informou o Palácio do Planalto em um comunicado.

Dilma também foi recebida pela xeica e presidenta da Qatar Foundation, Mozah bint Nasser Al Missned. Depois de fazer escala no Catar, Dilma continuou sua viagem até a Austrália, onde participará da cúpula do G-20 que acontece neste fim de semana em Brisbane. Um de seus principais compromissos será a reunião dos líderes do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que se encontrarão no sábado.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: