Sacyr ganha outro contrato do metrô de São Paulo por 1,4 bilhão de reais

Projeto se soma a outros três que a construtora espanhola assumiu na capital paulista no ano passado por 145 milhões de reais

A construtora espanhola Sacyr, através de um consórcio no qual participa sua subsidiária Somague, ganhou um contrato para a construção de um trecho do metrô de São Paulo no valor total de de 1,474 bilhão de reais, que deverá cumprir em menos de seis anos e meio. A empresa já tem três outros projetos metroviários na cidade no valor total de 435 milhões de reais.

O consórcio, que inclui a Somague, com 33%, a Galvão Engenharia e a SA Paulista, será encarregado de construir parte da Linha 2 Verde, que unirá a Vila Prudente à Dutra. O contrato inclui a construção de um túnel de pista dupla de 7,8 quilômetros de comprimento e 11,65 metros de diâmetro; um conjunto de túneis de 1,8 quilômetros para o estacionamento de trens; a estação da Vila Formosa; cinco poços de ventilação com diâmetros entre 12 e 15 metros e uma superestrutura de via permanente. O prazo de conclusão das obras é de 77 meses.

Dois dos outros projetos executados pela Somague no metrô de São Paulo estão na Linha 15. O primeiro, no valor de 165 milhões de reais, em que participa com 35%, inclui a construção de três estações elevadas e um estacionamento de trens (Iguatemi, Jequiriçá, Jacu-Pêssego e Pátio Ragueb Chohfi) em 24 meses. O segundo, de também de 165 milhões e participação de 35%, inclui a construção de quatro estações elevadas em 20 meses: São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União.

A Sacyr tem ainda a participação de 50% em um consórcio para a construção da Estação Vila Prudente onde fará, em 19 meses, um terminal de ônibus, uma estação de metrô, a conexão com a linha de metrô já em operação, um edifício técnico e a urbanização exterior, tudo por 100 milhões de reais.