A atriz Daniele Watts é presa ao ser confundida com uma prostituta

A intérprete de 'Django Livre' denuncia que foi detida após uma demonstração afeto em público

“Hoje fui algemada e detida por dois policiais do Departamento de Polícia de Studio City - um bairro de Los Angeles - depois de me negar a aceitar que tinha feito algo errado ao demonstrar afeto, completamente vestida, em um lugar público.” Com estas palavras começa a denúncia por escrito da atriz Daniele Watts depois de ser presa na última quinta-feira em Los Angeles ao ser confundida com uma prostituta.

Junto ao texto publicado em seu perfil de Facebook, ela postou uma fotografia do momento da prisão, no qual é possível ver a atriz, conhecida por seu papel como Coco no filme de Quentin Tarantino, Django Livre, chorando na frente do policial, com as mãos algemadas nas costas, e vestida com uma camiseta de manga curta, shorts e tênis. Segundo a versão de Watts e Brian James Lucas, depois que a polícia confundiu a atriz com uma prostituta, esta se negou a mostrar seu documento de identidade, por isso foi algemada e detida no interior da viatura policial enquanto os agentes faziam averiguações.

“Quando escutei as perguntas do policial entendi que pensaram que um tatuado branco e uma negra de roupa curta eram necessariamente uma prostituta e seu cliente”, assegura o acompanhante da atriz, Brian James Lucas, que também escreveu no Facebook. “Mostrei minha identidade, sabendo que não tínhamos feito nada de errado, mas Daniele se negou a mostrar a dela dizendo que não tinham direito”, ele conta. “Ela foi algemada, enfiada na viatura policial e as algemas fizeram um corte em seu pulso”, conta, junto com a imagem que acompanha seu texto.

Depois da divulgação da notícia, a polícia de Los Angeles foi obrigada ontem a publicar um comunicado como resposta aos fatos. Segundo as autoridades, os agentes responderam às queixas recebidas de que um homem e uma mulher estavam “se expondo de uma maneira indecente” no interior de uma Mercedes prateada com as portas abertas. Por isso, um sargento e dois oficiais se deslocaram até o lugar, onde encontraram dois indivíduos que se encaixavam com a descrição dos suspeitos “e foram detidos brevemente”, segundo contaram as autoridades ao LA Times.

“Depois da investigação, concluiu-se que nenhum crime havia sido cometido”, continua o comunicado policial. “A senhora Watts e seu acompanhante foram então liberados.” Uma situação que provocou a ira da atriz, que não quis ficar calada: “Quando a polícia chegou, eu estava na calçada perto de uma árvore. Falava com meu pai pelo celular. Sabia que não tinha feito nada de errado, que não estava fazendo mal a ninguém, por isso fui andando. Uns minutos depois, ainda continuava falando com meu pai quando dois policiais me assediaram e me algemaram. Enquanto estava sentada na parte traseira da viatura, lembrei as incontáveis vezes que meu pai chegava em casa frustrado ou humilhado pela polícia sem ter feito nada de errado. Senti a mesma vergonha, sua fúria, e meus próprios sentimentos de frustração por viver em um mundo onde me deixei acreditar que as autoridades podiam controlar meu ser, minha capacidade de ser!!” Depois de contar assim os fatos, assegura que não existe polícia nem autoridade que seja mais forte do que ela.