Copa do Mundo 2014 | BRASIL

Neymar: “Foi um apagão inexplicável”

Neymar fala sobre a histórica derrota para a Alemanha e chora ao lembrar de sua lesão "Se a joelhada fosse dois centímetros mais para baixo eu estaria em uma cadeira de rodas"

Com uma expressão mais descansada e uma camisa da seleção assinada por todos os seus companheiros, Neymar compareceu à Granja Comary nesta quinta-feira para “apoiar” os colegas e dar a cara para bater por uma equipe muito afetada em seu estado de ânimo. Nunca se saberá se a viagem de Neymar a Teresópolis foi um desejo sincero de apoiar o time, além de ser uma hábil manobra de comunicação, mas o certo é que o desembarque do jovem ídolo brasileiro, ainda em recuperação à fratura vertebral, causou o único momento de certa expectativa na Granja Comary em um dia marcado pela melancolia, a forte chuva e o claro distanciamento entre o ainda técnico brasileiro, Luiz Felipe Scolari, e o presidente da toda-poderosa CBF, José Maria Marin.

“A situação dos jogadores é ruim”, reconheceu Neymar assim que se sentou na sala de imprensa, “mas o seu único objetivo agora é honrar a camisa e encerrar o campeonato com um sorriso e uma vitória”, afirmou o camisa 10 em referência à partida pelo terceiro lugar. “É uma derrota histórica, mas o esporte é assim. Doerá por muito tempo, mas passará. É preciso levantar a cabeça e trabalhar para que na próxima vez possamos dar uma alegria ao povo e às nossas famílias”.

O que aconteceu na terça-feira?, perguntavam os repórteres brasileiros ao astro do time. “Não sei”, admitiu Neymar (em sintonia com seu técnico). “Foi incrível, inexplicável… Um apagão que não tem explicação. Os jogadores tampouco sabem por que aconteceu”. “Estávamos dispostos a dar tudo, inclusive a nos lesionar, para sermos campeões, para gravar nosso nome na história. É uma grande pena", continuou o atacante do Barcelona, que reconheceu ter vivido momentos complicados durante o jogo por ver sua família chorando e por “não poder estar em campo com meus companheiros”.

Apesar de ter vivido “uma semana pior do que nunca pude imaginar”, Neymar, que é evangélico, expressou várias vezes que “Deus sabe tudo, e que se permitiu que isso acontecesse é porque tinha de acontecer”. “Não tenho nenhuma vergonha de ser brasileiro e estou muito orgulhoso dos meus companheiros”, entre os quais citou o goleiro Julio César e o criticado atacante Fred, que por questões de idade nunca voltarão a disputar uma Copa. “Vamos aprender muito com tudo isso”.

Para Neymar, o Brasil teve uma atuação “regular”, em que o time não pôde “mostrar o seu melhor futebol, que é superior e encanta todo o mundo”. A estrela da ‘seleção’ provocou um leve murmúrio de surpresa no auditório ao afirmar que “Messi merece ser campeão” e ao desejar uma vitória argentina no Maracanã, neste domingo, possibilidade que para a grande maioria dos brasileiros é o pior cenário possível e domina o debate popular nos dias posteriores à catástrofe do Mineirão.