Copa do Mundo 2014 | BRASIL x COLÔMBIA

Neymar contra James Rodríguez, as duas caras do gol

Frente ao endurecimento do Brasil, só aliviado pelas exaltações e os gols do jogador do Barcelona, a Colômbia atua com a desenvoltura representada pelo novo astro

Neymar e James Rodríguez.
Neymar e James Rodríguez.JUAN MABROMATA/PEDRO UGARTE (AFP)

O Brasil ficou paralisado pelo medo em sua partida contra o Chile e ainda anda angustiado com o encontro contra a Colômbia. Felipão parece um militar populista em suas conversas, o capitão Thiago Silva foi apontado por se retirar para rezar durante a cobrança de pênaltis contra a equipe de Sampaoli, os responsáveis de imprensa brigam com as delegações contrárias e foi chamado um grupo de psicólogos para reativar a equipe em seu caminho ao hexa. É preciso fazer valer o peso da camisa", disse Fernandinho, que ficará na escalação enquanto Paulinho joga no lugar de Luis Gustavo, que está machucado.

A bronca chegou até em Neymar. O menino divertido fala como se já fosse um veterano quando perguntado por que o Brasil jogou mal: "Não viemos dar espetáculo, viemos ganhar a Copa do Mundo". Não se pergunta mais a Neymar sobre o encontro com Messi, mas com James Rodríguez, sinal de que há uma nova estrela na Copa, sinal de que diminuiu a confiança no Brasil. "Um excelente jogador", responde o brasileiro sobre o colombiano. “Com sua idade [22 anos] já é um craque, mas com todo meu respeito espero que sua corrida na Copa acabe nas quartas de final", acrescenta o jogador do Barcelona sobre o encontro de amanhã em Fortaleza.

Os dois têm a mesma idade, 22 anos, ambos usam a "10" e já são pais

James Rodríguez tem a mesma idade que Neymar, e também joga com a 10. O brasileiro, no entanto, já é uma celebridade cujos ingressos são estimados em mais de 20 milhões de euros (60 milhões de reais) se contabilizarmos a publicidade, símbolo como é do Brasil (35 gols em 53 partidas). O colombiano, que foi transferido no ano passado do Porto ao Mônaco por 45 milhões e ganha ao redor de 4,5 milhões, quer agora jogar em uma equipe como o Real Madrid. Hoje é o rosto do sucesso da Colômbia. Um atleta que joga com grande desenvoltura frente ao endurecimento do Brasil, só aliviado pelos quatro gols de Neymar.

O brasileiro é uma celebridade cuja receita é estimada em 2o milhões de euros anuais

James já soma cinco gols e dois figuram no catálogo de melhores do torneio, sobretudo o 1 x 0 que marcou contra o Uruguai, quando girou de costas para o gol e mandou um tiro na direção de Muslera. O jogador de Cúcuta (10 gols em 26 partidas internacionais) é o goleador da competição e excelente em passes (71% de acerto). Funciona como atacante e meio-campista: já fez duas assistências a gols e foi o número um na última Liga da França. Muito bem conectado com Cuadrado, James provoca a admiração dos que foram representantes brasileiros do jogo bonito agora defendido pela Colômbia.

Com Falcao ausente por uma lesão, James teve mais espaço e panorâmica de jogo dentro do campo e assumiu uma maior responsabilidade na equipe de Pékerman. A responsabilidade não pesa, atua com desenvoltura e seu jogo é atrevido e alegre, sempre bem definido, habitualmente por sua excelente perna esquerda. Ao contrário de Neymar, vinculado empresarialmente a seu pai, o protetor da carreira de James não foi seu progenitor, um jogador colombiano que abandonou a família quando James tinha três anos, mas sua mãe, que cuidou sempre de sua carreira e o acompanhou até a Argentina, quando foi contratado pelo Banfield.

Com Falcao ausente por uma lesão, Rodríguez teve mais espaço e visão panorâmica do jogo

Nunca foi um jogador anônimo desde que se tornou a figura junto com Quintero do torneio Pony Futebol que é realizado em Medellín. Contratado pelo Envigado, formou-se depois no Banfield, que negociou sua transferência ao Espanyol — o clube catalão não conseguiu apresentar os avais para sua incorporação — e mais tarde triunfou no Porto com Falcao e Hulk, até que chegou já como estrela no Mônaco. James, que quando era pequeno teve que ir a um fonoaudiólogo, está casado com a irmã do goleiro Ospina, que conheceu fora do circuito futebolístico e tem uma filha que se chama Salomé. Neymar tem um filho: Davi Lucca.

O colombiano, transferido na última temporada do Porto ao Mônaco, quer chegar a um time como o Real Madrid

Ambos são a arma de suas respectivas seleções em uma partida que para a Colômbia chega quando se cumprem 20 anos do assassinato de Andrés Escobar, o jogador que recebeu 12 balas, desfechadas uma a uma ao grito de gol. Hoje o futebol colombiano parece transbordar de saúde contra o atormentado Brasil. Nem Neymar está rindo, o jovem que joga com Messi no Barça desde a última temporada, que terminou com 15 gols e 41 partidas. O Brasil precisa se conectar com o agitador Neymar, um excelente acrobata, enquanto a Colômbia sabe como encontrar o sossegado James.