O filho mais velho de Pelé é condenado a 33 anos de prisão por lavagem de dinheiro

O ex-goleiro Edson Cholbi do Nascimento, o Edinho, ainda pode recorrer da sentença, que foi dada por uma juíza auxiliar da primeira Vara Criminal de Praia Grande, no litoral do Estado de São Paulo

O filho mais velho de Pelé, Edson Cholbi do Nascimento, foi condenado a 33 anos e quatro meses de prisão por prática de crime de lavagem de dinheiro de tráfico de drogas. A sentença do ex-goleiro, que ainda pode recorrer da decisão, foi dada na última sexta-feira por uma juíza auxiliar da primeira Vara Criminal de Praia Grande, no litoral do Estado de São Paulo, segundo informações do jornal A Tribuna de Santos.

Em junho de 2005, Edinho, como é conhecido, foi preso em flagrante em uma ação do DEIC (Departamento de Investigações sobre Narcóticos). Acusado de ter ligações com um dos principais traficantes do litoral, Ronaldo Duarte Barsotti de Freitas, o Naldinho –que também foi condenado à pena de 33 anos e quatro meses na mesma sentença–, o filho de Pelé foi solto em seguida após alegar ser dependente químico. Acabou detido novamente meses depois, e ficou preso por quase um ano e meio.

A juíza decretou ainda a perda dos bens apreendidos e sequestrados na operação, pois estão relacionados a dinheiro proveniente de práticas ilícitas. Também foi determinada a entrega dos passaportes dos envolvidos em um prazo de até cinco dias após a intimação da sentença, sob pena de terem a prisão preventiva decretada. O objetivo é evitar riscos de fuga, já que alguns dos denunciados possuem alto poder aquisitivo.

Em entrevista à revista Istoé, em 2010, Edinho reclamou da ausência de Pelé em sua formação e que a separação dos pais não foi boa para ele, que trabalha atualmente como treinador de goleiros do Santos, o clube de futebol que revelou o pai. "Foi construída uma imagem de que eu seria um traficante, um monstro que oferecia perigo à sociedade. Nunca fui nem viciado, só declarei ser usuário de maconha", afirmou na ocasião.