Seleccione Edição
Login
PABLO IGLESIAS | Líder do partido espanhol Podemos

"Não terei cumprido meu objetivo até derrotar o bipartidarismo"

O partido Podemos, liderado por Pablo Iglesias, conquistou cinco cadeiras no parlamento europeu nas eleições de domingo e prepara a sua candidatura para 2015

Pablo Iglesias, neste domingo à noite em Madri.

Pablo Iglesias, líder do partido espanhol Podemos e professor de Ciências Políticas na Universidade Complutense de Madri, não festejou neste domingo o sucesso eleitoral sem precedentes de sua aliança política. “Não nos conformamos. Para nós, não é um resultado testemunhal. Vamos abrir um período de confluência com outras forças políticas. Os partidos da casta sofreram a mais severa crítica, ambos somaram menos de 50% dos votos. Mas não terei cumprido o nosso objetivo até que não os derrotemos”, declarou neste domingo à noite ao EL PAÍS. E adiantou que trabalhará para apresentar uma candidatura para as próximas eleições.

Sua leitura dos resultados, que permitem ao Podemos ocupar cinco cadeiras do Parlamento europeu, foi pessimista: “perdemos estas eleições europeias; quem ganhou foi o Partido Popular. Não é para ficar feliz. Seguirá tendo mais desempregados e mais despejos e Merkel seguirá tomando medidas na contramão dos cidadãos”.

Os cinco eleitos do Podemos apoiarão o grego Alexis Tsipras, cujo partido ganhou as eleições na Grécia, para o Parlamento europeu.

“Nascemos para ganhar o mundo. Hoje, apesar dos nossos resultados, ainda há seis milhões de desempregados e banqueiros impunes”, acrescentou.

Iglesias defende a mensagem que difundiu durante a campanha e recusa as críticas de populista que recebeu: “Podem nos acusar de estarmos defendendo o povo, mas não podem nos acusar de termos ajoelhado para o Banco Central Europeu”. Em relação ao excesso de juventude de sua candidatura, responde: “Estranho é esta casta política envelhecida”.

Iglesias, habitual nos debates de televisão de vários canais, alguns de tendência ultraconservadora, responde que seguirá fazendo participações nos meios informativos que lhe convidarem “O uso da televisão é muito importante para ser deixado de lado. Estamos dispostos a continuar indo e nossa presença dependerá do que decidam os meios agora que temos presença no Parlamento europeu”. “A partir de amanhã, trabalharemos na confluência política com outros partidos do sul da Europa para dizer que não queremos ser uma colônia da Alemanha”, disse.

O líder do Podemos não se mostrou de acordo com os resultados obtidos no domingo porque “os partidos da casta política”, em referência ao Partido Popular (PP) e ao Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), “seguem ocupando os primeiros lugares no quesito apoio popular, pese o seu retrocesso. “O nosso objetivo é seguir avançando até tirar do poder o PP e o PSOE para ter um Governo decente onde nenhum poder financeiro esteja acima dos direitos da população. Nascemos para ganhar o mundo e vamos ganhar o mundo”.