37.130 reais de multa para o Villarreal pela banana atirada em Daniel Alves

O Comitê de Competição decidiu, entretanto, não fechar o estádio do time por causa do incidente racista ocorrido no jogo Villarreal x Barça

Captura televisiva do momento no que Alves recolhe e come a banana.
Captura televisiva do momento no que Alves recolhe e come a banana.

Doze mil euros (37.130 reais) será o custo para o Villarreal da banana lançada para Dani Alves por um torcedor desse time quando o lateral do Barça, que pegou um pedaço da fruta e comeu, se preparava para fazer a cobrança de escanteio no jogo que o Villarreal disputou com o Barça no último dia 27 de abril. O Comitê de Competição optou por uma sanção apenas econômica contra o ato racista e não fechará o estádio El Madrigal por causa do desagradável incidente. Cabe destacar que sobre o estádio onde o clube de Roig disputa seus jogos pesava a advertência de fechamento por causa de uma bomba de gás lacrimogênio jogada há três meses durante um jogo entre o Villarreal e o Celta, incidente que levou à suspensão do jogo durante 20 minutos e à retirada dos 14.000 espectadores presentes no recinto esportivo. Pelo ato de vandalismo, cuja autoria não foi identificada, o Villarreal já teve que pagar uma multa de 6.000 euros (18.612 reais).

O Comitê de Competição informou que a decisão de não fechar El Madrigal foi tomada porque se considerou que os dois incidentes registrados no estádio eram “de natureza distinta”. O organismo federativo avaliou também como atenuante a atuação do clube que localizou o autor do arremesso da banana ao campo, até então representante de uma das categorias de base do clube, e cassou -lhe a carteira de sócio do clube e proibiu-o, de forma vitalícia, de entrar em quaisquer das instalações do clube. O infeliz torcedor foi colocado à disposição das autoridades e se encontra a espera da decisão que a Procuradoria irá adotar com relação ao desprezível ato. Na última quarta-feira, umas 800 pessoas se reuniram no centro de Villarreal para solidarizar-se com o autor do arremesso da banana por considerar desproporcional o tratamento informativo dado ao ato e o “linchamento midiático” a que foi submetido o torcedor que imediatamente se mostrou “arrependido e envergonhado”. A campanha viral iniciada por Neymar nas redes sociais “todos somos macacos” ampliou a repercussão do reprovável ato.

O time presidido por Roig não quis avaliar a sanção, que disse acatar humildemente e se sente aliviado por seu estádio não ter sido fechado. Tampouco quis opinar sobre o incidente ocorrido no domingo passado na cidade de Valência quando Diop, atleta do Levante, foi objeto de menosprezo racista por parte de alguns torcedores do Atlético de Madri que imitaram gestos simiescos, claramente identificados pelas câmeras de televisão presentes. Nem a Liga de Futebol Profissional, nem a Procuradoria, nem o Atlético de Madri se pronunciaram a respeito, coisa que agita a parte da torcida do Villarreal que considera o fato ocorrido na cidade de Valência tão censurável e digno de punição como o que teve lugar no El Madrigal.

Arquivado Em: