Seleccione Edição
Login

A taxa desemprego cai de 7,4% para 7,1% em 2013

Especialistas acreditam que o desemprego aumentará para 5,7% em 2014 na comparação com os 5,4% de 2013

Enquanto o PIB brasileiro cresceu apenas 2,3%, a taxa de desemprego teve uma leve queda na comparação entre 2012 e 2013, de 7,4% para 7,1%. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na comparação entre o quatro trimestre de 2013 e o mesmo período de 2012, houve uma queda de 6,2% para 6,9%. Esta pesquisa é feita com dados de 3.500 cidades.

Isso significa que 600.000 pessoas conseguiram trabalho em um ano e que houve um aumento de 1,5 milhão de pessoas ocupadas, totalizando 91 milhões. Segundo o critério do IBGE, pessoas ocupadas são aquelas que exercem atividade remunerada ou ajudam um membro da família que faz isso.

Na comparação entre as áreas do País, a região Nordeste foi a que apresentou a maior taxa de desocupação. “Notamos ainda que a configuração do mercado permanece menos formalizada, com um maior número de jovens trabalhando”, afirmou Cimar Azeredo, gerente de Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. Já no Sul, o índice foi o menor e fechou o ano passado em 3,4%.

Para o economista Rafael Bacciotti, da Tendências Consultoria, deve ocorrer um aumento da taxa de desemprego em 2014. Baseada em outro levantamento do IBGE, a Pesquisa Mensal de Emprego, que conta a atividade em seis cidades metropolitanas do Brasil, a consultoria prevê que o desemprego deve subir para 5,7% em 2014 na comparação com os 5,4% de 2013.

Devido a uma solicitação de parlamentares sobre o cálculo do fundo de participação de Estados e Municípios, o IBGE decidiu paralisar a divulgação da PNAD até janeiro de 2015. “Os dados que estão sendo coletados e que estão sendo divulgados podem gerar uma avaliação equivocada por parte dos Estados”, justificaram os parlamentares na requisição ao IBGE. Com isso, os técnicos do órgão deverão se dedicar a essa atividade.