Seleccione Edição
Login
Copa do Mundo 2014

Dilma entrega Arena das Dunas, em Natal

Ato teve manifestações pacíficas do lado de fora. Estádio para 42 mil pessoas é o sétimo a ficar pronto entre os 12 para a Copa e sediará quatro jogos da primeira fase, entre eles Itália e Uruguai

Operário observa a Arena das Dunas do alto, nesta quarta-feira.
Operário observa a Arena das Dunas do alto, nesta quarta-feira. EFE

A Arena das Dunas, em Natal (região Nordeste do Brasil), estádio que receberá quatro jogos da primeira fase da Copa do Mundo deste ano, foi entregue nesta quarta-feira, em evento que contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff e também de manifestantes, que protestaram pacificamente do lado de fora contra os gastos para a realização do torneio.

Com capacidade para 42 mil espectadores, a menor entre os estádios escolhidos para sediar o Mundial, a arena receberá o confronto do chamado “grupo da morte”, entre Itália e Uruguai, em 24 de junho. Antes sediará os duelos entre México e Camarões (13); Gana e Estados Unidos (16); e Grécia e Japão (19).

O novo estádio, cujos gastos se aproximam de 400 milhões de reais (cerca de 170 milhões de dólares), será testado pela primeira vez no domingo, com uma rodada dupla envolvendo os dois times com maior torcida no Estado: o América e o ABC. O primeiro enfrenta o Confiança, do Estado de Sergipe, pela Copa do Nordeste, e o ABC joga contra o Alecrim pelo campeonato potiguar.

Para garantir a sustentabilidade do estádio após o Mundial, o ABC e o América fecharam ainda um acordo com a concessionária responsável pela arena ao longo dos próximos 20 anos, para que mandem seus jogos no local.

"Além dos jogos de futebol, a #ArenaDasDunas poderá ser usada para shows, feiras, workshops, grandes eventos, exposições”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff em sua conta no Twitter. “O próximo estádio da #CopadasCopas a ser entregue será o Beira-Rio, na minha querida Porto Alegre”, no sul do país, acrescentou.

Com a conclusão da Arena das Dunas, restam cinco palcos a serem entregues para a Copa do Mundo, das 12 cidades-sedes programadas para sediar o evento. Curitiba, na região Sul, vive a situação mais complicada. A Arena da Baixada, estádio da cidade escolhido para sediar o torneio, tem as obras mais atrasadas até agora.

Nesta terça-feira, em visita ao estádio de Curitiba, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, deu um prazo para uma confirmação da cidade como sede do torneio: 18 de fevereiro, data em que acontece em Florianópolis, também no sul do país, um seminário em que as equipes participantes do campeonato receberão informações importantes sobre o Mundial.

Já haviam sido entregues e inaugurados os seis estádios que participaram da Copa das Confederações, no ano passado: Maracanã (Rio de Janeiro), Mineirão (Belo Horizonte, também na região Sudeste); Mané Garrincha (Brasília); Fonte Nova (Salvador, região Nordeste); Arena Pernambuco (Nordeste); e Castelão (Nordeste).