O funeral da miss venezuelana se converte em um ato de massas

Os admiradores da rainha da beleza assassinada fazem fila para se despedir. O caso tem comovido o país

Fila de admiradoras no funeral de Mónica Spear em Caracas.
Fila de admiradoras no funeral de Mónica Spear em Caracas.C. G. RAWLINS (REUTERS)

Os funerais da miss Venezuela 2004 Mónica Spear e seu esposo Thomas Henry Berry, assassinados a tiros em uma estrada venezuelana, se converteram em um ato de massas que uniu pela dor familiares, atores e admiradores do trabalho da atriz.

A família, segundo o diário O Nacional, se viu obrigada a abrir antes da hora a capela onde repousam seus restos para que a grande quantidade de gente, que fez fila desde as primeiras horas desta quinta-feira, pudesse entrar para vê-la pela última vez.

Muitos vieram de outras cidades e choraram por seu assassinato. Seus pais, que chegaram na Venezuela vindos de Orlando, Flórida, onde residem, em um avião fretado pelo governo, aceitavam as condolências dos admiradores. O governo anunciou ontem a resolução policial do duplo homicídio com a prisão de sete acusados, dois deles menores de idade.

Espera-se que às onze da manhã de Caracas saia o cortejo fúnebre até sua última morada, no Cemitério del Este, onde será sepultada.

Arquivado Em: