“Os ladrões do caminhão radioativo devem ir ao hospital, ou morrerão”

Assaltantes de um caminhão no México estiveram expostos a altas doses de cobalto-60, um material radioativo

Máquina de teleterapia roubada contendo uma fonte radioativa.
Máquina de teleterapia roubada contendo uma fonte radioativa.

Os ladrões de um caminhão que transportava material médico no México estiveram expostos a altas doses de radiação, já que manusearam a carga e estiveram em contato com Cobalto-60, um material radioativo. “Certamente eles têm de ir a um hospital, ou morrerão”, explicou um físico da comissão encarregada da segurança nuclear do país, Mardonio Jiménez.

O assalto ao caminhão, que chamou a atenção da Agência Internacional de Energia Atômica, da ONU, por se tratar de um material perigoso que pode ser utilizado na fabricação de bombas, ocorreu na segunda-feira, e militares e policiais estavam procurando o veículo, até que foi encontrado na quarta-feira. E caminhão apareceu em uma área de plantação de milho e feijão de Hueypoxtla, um povoado do Estado do México, a uns 40 quilômetros do local onde foi roubado.

Os assaltantes, que não foram identificados até agora, retiraram do caminhão a caixa com o material radioativo e a levaram até um campo agrícola. O cabeçote do dispositivo médico foi guardado em uma casa. “Por curiosidade ou por outro motivo, retiraram essa fonte. Não sabemos onde estão essas pessoas”,disse Jiménez. A área que poderia estar contaminada pela radioatividade foi esvaziada num raio de 500 metros. A principal hipótese das autoridades é que os ladrões que assaltaram o caminhoneiro de madrugada em um posto de combustíveis não estavam cientes da perigosa carga que ele levava. O equívoco pode custar-lhes a vida.

O governo dedica prioridade máxima ao caso. A Presidência da República está a par do desenrolar dos acontecimentos. As autoridades preveem que as pessoas afetadas se apresentarão nas próximas horas em algum centro de saúde com um quadro de náuseas e vômitos, já que sua exposição ao material é dada como certa. O Cisen, o órgão de inteligência, é o encarregado de lidar com esse tipo de questão que afeta a segurança nacional.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o órgão da ONU que informou sobre a denúncia do México, assinalou que, com base na informação que as autoridades locais lhes passaram, os assaltantes correm um grande risco, mas os vizinhos do povoado estão a salvo. “A população está a salvo e continuará segura”, afirmou a instituição em um comunicado. Um importante contingente governamental foi deslocado para o povoado.

O motorista do caminhão foi subjugado em um posto de combustível e deixado em um descampado próximo, com os pés e as mãos amarrados.

Valentín Escamilla, empregado da Transportes Ortiz, vinha de Tijuana, cidade na fronteira com os Estados Unidos, e estava prestes a chegar a seu destino, um depósito de resíduos situado em Tamascalapa, no centro do país. A procuradoria fiscal abriu uma investigação para esclarecer o que aconteceu, mas já há indícios de graves irregularidades: o veículo não contava com GPS nem com medidas para proteger a carga.

As horas correm contra os ladrões. Devem estar se perguntando ─ se é que estejam a par da confusão que causaram ─ se estão diante de uma ameaça real ou as advertências das autoridades não são mais do que um artifício para tirá-los de seu esconderijo.

O cobalto utilizado para fins médicos costuma ter níveis muito altos de radiação, embora se reduzam à medida que se utiliza o dispositivo que o contém. Desde que não se danifique o cabeçote, não existe risco de propagação da radiação, mas assim que é aberto, ela se difunde rapidamente. O material não pode ser usado na fabricação de uma arma nuclear convencional, mas sim como componente essencial para criar uma bomba suja, um artefato que libera material radioativo.

Arquivado Em: