Valdés cai no seu melhor momento

O Barça perde seu número 1, presente sem pausas desde 2008, pelo restante da temporada

(atlas)

Víctor Valdés não queria distrações nesta temporada. Será, por decisão própria, a última de numa longa trajetória no Barcelona, o seu clube do coração. E decidiu que seria também a temporada da sua vida. Disse no último mês de maio que seu ciclo terminaria em 2014, e que ele, cinco vezes ganhador do troféu Zamora, pretendia encerrar essa etapa nas melhores condições. Estava dedicado a isso, a ter um momento em grande forma. No entanto, uma lesão o impediu de manter seus planos com naturalidade. Passará um mês e meio afastado por causa de uma lesão muscular, algo incomum para um goleiro.

O arqueiro do Barcelona, que em janeiro completará 32 anos, sentiu uma pontada no amistoso disputado na terça-feira pela seleção espanhola contra a África do Sul, em Johanesburgo. Deu um pique para sair da área e o músculo se rasgou. Imediatamente ele soube que não era uma simples fisgada. O jogo não se interrompia, então ele se atirou ao chão. A primeira observação dos médicos da Espanha já previa uma ruptura muscular e um mês e meio de afastamento. E o diagnóstico não demorou a se confirmar. Valdés foi o primeiro a sair do vestiário – de muletas. E com elas aterrissou ontem num avião particular em Barcelona, onde os médicos da equipe azul-grená concordaram com o prognóstico inicial. O goleiro do Barça sofreu uma “ruptura miotendinosa próxima ao gêmeo interno da perna direita”, segundo confirmou o clube.

A ausência estimada é, na prática, de seis semanas – o mesmo que Messi irá demorar para voltar. E Valdés – como o argentino – perderá as próximas oito partidas: contra Granada, Athletic, Villarreal e Getafe pela Liga Espanhola; contra o Ajax e o Celtic pela Liga dos Campeões; e o duplo confronto com o Cartagena pela próxima fase eliminatória da Copa do Rei. Para essa fase, o Barça contaria com José Manuel Pinto no gol, por mais que Gerardo Martino ainda não tivesse anunciado em público se ele também faria parte do time. Essa é uma competição que tanto Guardiola quanto Vilanova, seus antecessores, haviam escolhido para que o habitual goleiro reserva ganhasse minutos e confiança.

O clube, em busca para um substituto para o gol na próxima temporada, não irá ao mercado no inverno europeu

Portanto, além da contusão de Messi, referência no ataque do clube azul-grená, Martino perde também o seu número 1, Valdés, outro insubstituível, de quem mal há lembrança de ausências importantes nos últimos anos. Jogou praticamente tudo, exceto a Copa do Rei, nas duas primeiras temporadas de Guardiola, de 2008 a 2010; teve um episódio de febre e vômitos na temporada de 2010-11, e também uma distensão no joelho que o manteve afastado por duas semanas. Na temporada seguinte sofreu um edema ósseo por causa de uma pancada, mas se recuperou em dois dias. E na temporada passada sofreu dois episódios de fascite plantar: perdeu uma partida pela seleção da Catalunha e outra contra o Betis. Esse é o sucinto capítulo das baixas nas cinco temporadas anteriores.

Valdés não costuma se machucar. E menos ainda se ausentar por problemas musculares. “Uma lesão muscular em um goleiro é rara, as baixas costumam ser mais por pancadas. Eu sofri uma ou outra, e te deixa um pouco desconcertado, então não é uma boa notícia”, disse o diretor esportivo do Barça, Andoni Zubizarreta.

Ele, que ocupou a mesma posição e vestiu a mesma camisa que o jogador de Hospitalet de Llobregat, tentou sem sucesso convencer o goleiro a não deixar o clube. De modo que, a poucos meses de terminar a passagem de Valdés pelo Camp Nou, Zubi já tem a substituição preparada. O primeiro a chegar pode ser Pepe Reina, que já havia assinado um pré-contrato no verão europeu passado, motivo pelo qual o Liverpool o emprestou ao Napoli. O outro seria Ter Stegen, do Borussia Mönchengladbach.

A ausência inesperada de Valdés não obriga, apesar de tudo, a acelerar nenhuma negociação, pois o Barça não cogita incorporar um novo goleiro na janela de negociações do inverno europeu. “Temos Pinto, Oier e Masip, jogaremos com um deles, e seguramente irá bem”, disse Zubizarreta.