Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Encontrados corpos e fuselagem do avião militar acidentado em Myanmar

Os restos da aeronave foram encontrados por uma equipe de resgate da Marinha no Oceano Índico

Os restos do avião de Myanmar (antiga Birmânia) que desapareceu na quarta-feira com 120 pessoas a bordo foram encontrados nesta quinta no oceano Índico, junto com cadáveres de seus ocupantes, segundo os militares do país. “Localizamos o avião e alguns corpos nesta manhã, às 08h25 [22h55 de quarta em Brasília]”, informou um porta-voz militar à agência AFP.

Os restos do aparelho foram encontrados por uma equipe de resgate da Marinha em frente à costa de Launglon, no mar de Andaman, o setor do oceano Índico ao sul de Myanmar.

Nove navios da Marinha e três aviões da Força Aérea saíram em busca do avião que desapareceu na quarta-feira no trajeto entre Myeik e Rangum. Mais da metade dos passageiros eram familiares de militares, entre eles 15 crianças, além de 35 soldados e 14 tripulantes, segundo um comunicado militar. “Alguns viajavam por razões médicas e/ou por motivos escolares”, informou um porta-voz.

Embora Myanmar atravesse a temporada das monções, não houve registro de mau tempo na região. O avião, um quadrimotor turboélice chinês modelo E-8F-200, perdeu contato com a torre de controle às 13h35 da quarta-feira (04h05 do mesmo dia em Brasília), cerca de meia hora depois de decolar.

Seu piloto, o tenente-coronel Nyein Chan, tinha uma experiência de mais de 3.000 horas de voo, segundo as fontes. O aparelho havia sido adquirido em março de 2016 e voara 809 horas.

A já extinta junta militar que governava a Birmânia durante décadas adquiriu aparelhos da China, durante os 50 anos em que o país ficou praticamente isolado por causa de sanções ocidentais. Um ex-alto-funcionário do Ministério de Aviação disse que muitas das aeronaves da frota birmanesa são antiquadas e estão mal conservadas. “A Força Aérea birmanesa tem péssimos antecedentes de segurança aérea”, afirmou essa fonte, pedindo anonimato.

A frota aérea de Myanmar tem um longo histórico de acidentes. Em junho de 2016, um helicóptero militar Mi-2 caiu na província de Bago devido ao mau tempo, matando três pessoas. Em fevereiro desse ano, cinco soldados morreram num incêndio a bordo de um avião militar, logo depois de decolar de Naypyidaw, a capital administrativa do país.

Os voos comerciais também registram acidentes com frequência. O pior nos últimos anos foi em 2012, quando uma aeronave da empresa Air Bagan caiu ao tentar pousar no aeroporto de Heho. Um passageiro e um motociclista morreram.

Em 1998 o país registrou outro grave acidente aéreo, quando um aparelho da companhia Myanmar Airways desapareceu com 39 pessoas a bordo. Os restos foram achados quatro dias depois, sem sobreviventes.

MAIS INFORMAÇÕES