Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Papa viajará à Colômbia em setembro pela reconciliação do país

Francisco visitará Bogotá, Medellín, Villavicencio e Cartagena durante quatro dias

O núncio apostólico e Juan Manuel Santos anunciam a visita do Papa.
O núncio apostólico e Juan Manuel Santos anunciam a visita do Papa. EFE

O papa Francisco viajará à Colômbia entre 6 e 10 de setembro pela reconciliação do país, que está imerso na evolução dos acordos de paz com as FARC. O anúncio foi feito na sexta-feira em Bogotá pelo núncio apostólico, Ettore Balestrero, em um pronunciamento conjunto com o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, que destacou que Jorge Bergoglio “vem apoiar os colombianos na construção da paz”. O pontífice estará em Bogotá, Medellín, Villavicencio e Cartagena. É a terceira viagem de um papa à Colômbia após as realizadas em 1968 por Paulo VI e em 1986 por João Paulo II.

A agenda de Francisco será marcada por um lema que simboliza a transição atravessada pelo país: “Demos o primeiro passo”. “A visita é um momento de graça e alegria para sonharmos com a possibilidade de transformar nosso país e dar o primeiro passo. O Santo Pai é um missionário para a reconciliação. Sua presença nos ajudará a descobrir que é possível voltar a nos unir como nação para dessa forma aprender a nos enxergar novamente com olhos de esperança e misericórdia”, disse o bispo militar encarregado de organizar a visita, Fabio Suescún Mutis. Em sua opinião, o lema “tem um profundo significado”, já que “significa superar uma situação obscura, confusa, pessimista”.

A visita se dá após mais de 50 anos de conflito com a guerrilha das FARC e em um momento de elevada polarização social e política pela implementação do processo de paz. Nesse contexto, que permeou o anúncio da viagem, o diplomata do Vaticano afirmou que “o Papa quer vir ao encontro dos colombianos, vem pelos que estão nas cidades e pelos que vivem no campo e têm uma cultura e necessidades diferentes; pelos ricos e pelos pobres; pelos jovens e pelos idosos”.

Francisco aterrissará em Bogotá em 6 de setembro e voltará a Roma no dia 10. De acordo com a Santa Sé, a duração da visita, que será somente na Colômbia, não é comum. “É raro que o Papa visite só um país e que até mesmo fique por lá quatro dias. Isso demonstra a importância que Francisco atribui a essa viagem”, disse Balestrero.

Santos, que no ano passado recebeu a Lâmpada da Paz de São Francisco de Assis, um dos reconhecimentos mais relevantes concedidos por uma ordem católica, afirmou: “Ter o Papa entre nós por quatro dias, saber que vem exclusivamente à Colômbia, e que o fará para dar uma voz de inspiração e de fé aos colombianos, é um privilégio que nos enche de gratidão”. “Sua Santidade nos deu coragem, nos deu força, encorajou a todos os colombianos a perseverar na busca pela paz, e agora chega à Colômbia em um momento único de nossa nação para nos convidar, como sempre fez, à união, à reconciliação, ao perdão e, principalmente, ao encontro”.

MAIS INFORMAÇÕES