Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Mulher processa Zara depois de encontrar um rato costurado a seu vestido

Nova-iorquina de 24 anos entra com ação após achar um roedor de 5 cm entre as costuras da roupa.

Mulher processa Zara depois de encontrar um rato costurado a seu vestido

Cailey Fiesel tem 24 anos, mora em Manhattan (Nova York) e nunca imaginou que o vestido de 40 dólares (130 reais) que comprou em julho em uma loja da Zara em Greenwich viria com uma surpresa: um rato costurado a ele. O pior de tudo é que não o percebeu ao comprar, mas em plena jornada de trabalho, quando notou um odor desagradável vindo do seu vestido e descobriu uma pata do roedor entre as costuras. Foi o que revelou o New York Post, que incluiu fotos do vestido.

Fiesel processou a Inditex não só por danos emocionais, mas também porque desenvolveu uma erupção de pele (causada pelo contato com a pata de rato) diagnosticada como “doença dos roedores”. Um porta-voz da Zara nos EUA explicou ao jornal que a empresa está a par da ação e que “está investigando o caso”. A etiqueta do vestido indica que foi fabricado na Turquia.

Fiesel afirma que não notou nada de estranho no início, mas que, depois de algumas semanas, um odor forte emanava do vestido. Um dia, durante o expediente no escritório, descobriu o que realmente estava acontecendo. “Notei algo roçando a minha perna e pensei que fosse uma costura. Quando fui tirá-la, vi que não era um fio, e que havia algo dentro. Pensei que tinham esquecido um sensor, mas, quando virei o pano, vi que na verdade era um rato”, disse ao jornal, indicando que o roedor media 5 centímetros. Em pânico, a jovem correu ao banheiro para tirar o vestido. Por sorte, ela pôde se trocar no escritório, onde tinha outras roupas de reserva.

“A Zara põe os novos modelos tão rápido em suas prateleiras que talvez esteja falhando em controlar a qualidade nos fornecedores”, declarou o advogado de Fiesel.

MAIS INFORMAÇÕES