Hillary Clinton já soma delegados suficientes para ser a candidata democrata

Ex-secretária de Estado tem 2.383 votos comprometidos um dia antes das últimas primárias

Pela primeira vez na história, uma mulher conseguiu garantir a nomeação como candidata à Presidência dos Estados Unidos por um dos dois grandes partidos do país. Hillary Clinton já conta com um número suficiente de delegados comprometidos com sua candidatura para se proclamar como a candidata democrata à Casa Branca. A notícia foi dada pela agência Associated Press na tarde de segunda-feira, depois de atualizar sua contagem de delegados. No jargão político norte-americano, Clinton já é a candidata presumível um dia antes da última jornada das primárias, quando votam delegados da Califórnia e de Nova Jersey, entre outros Estados.

Clinton, em campanha nesta segunda-feira em Compton, Califórnia.

A vitória nas primárias de Porto Rico, no domingo, deixaram Clinton a 23 delegados da marca de 2.383, segundo a contagem da AP. Novos apoios por parte de superdelegados, aqueles que não estão condicionados pelo voto dos militantes, a fizeram chegar à cifra necessária para garantir a nomeação. Os superdelegados são deputados, ocupantes de cargos eletivos e figuras de destaque do partido que são membros natos da convenção, independentemente do que ocorra nas primárias. A AP entrevistou os 714 superdelegados: 571 apoiam Clinton, 48 apoiam Bernie Sanders e 95 não se pronunciaram. Somados aos 1.812 que ela conseguiu nas primárias até agora, ela chegaria à marca necessária.

A notícia vem à tona no último dia de campanha na Califórnia, o Estado com maior número de delegados e que o senador Bernie Sanders transformou em um campo de batalha que a ex-secretária de Estado não esperava encontrar há alguns meses. Clinton e Sanders percorreram o Estado fazendo de dois a quatro comícios diários durante duas semanas, em uma campanha exaustiva. As pesquisas dão vantagem a Clinton, mas por uma estreita margem. Nesta terça-feira, Nova Jersey também vota. Mesmo se empatar nesse Estado, Clinton já chegaria à cifra de delegados antes mesmo de saírem os resultados da Califórnia.

O chefe da campanha de Clinton, Robby Mook, reagiu, em um comunicado: “Este é um marco importante, mas ainda temos seis Estados que votam nesta terça-feira, com milhões de pessoas que vão às urnas, e Hillary Clinton está trabalhando para conquistar cada voto. Queremos chegar logo à noite de terça-feira, quando Clinton conseguirá não só uma vitória no voto popular, mas também uma maioria entre os delegados comprometidos”.

Clinton expressou sua reação com um tweet que diz: “Estamos lisonjeados, AP, mas ainda temos que ganhar as primárias. Califórnia, Montana, Novo México, Dakota do Norte, Nova Jersey e Dakota do Sul votam amanhã!”.

Hillary Clinton (Chicago, 68 anos) é a primeira mulher a conseguir a nomeação presidencial de um dos dois grandes partidos dos Estados Unidos. O feito ocorre um dia antes de cumprir exatos oito anos desde que perdeu para Barack Obama nas primárias de 2007, nas quais também surgiu como a favorita de seu partido.

Aos 68 anos, Hillary Clinton é a primeira mulher a conseguir a nomeação presidencial de um dos dois grandes partidos dos EUA

Na ocasião, Obama tinha uma vantagem de 131 delegados e 105 superdelegados sobre ela quando Clinton jogou a toalha. Na atual corrida presidencial, Clinton supera o senador Bernie Sanders por 291 delegados e 523 superdelegados, além de 3 milhões de votos.

Sanders prometeu levar sua campanha adiante até o último dia, e assim tem sido. O senador considera que se conseguir ganhar na Califórnia, um Estado gigante, muito democrata e muito diverso, e em Nova Jersey, demonstrará que ele é o melhor trunfo para mobilizar o voto democrata e enfrentar Donald Trump. Para ele, sua campanha chega à convenção com muita energia. Isso poderia fazer os superdelegados mudarem o voto a seu favor.

Após o anúncio da AP, a campanha de Sanders divulgou um comunicado que diz: “É uma pena que a imprensa, em um julgamento precipitado, esteja ignorando o critério claro do Comitê Nacional Democrata de que é um erro contar os votos dos superdelegados antes que eles se pronunciem na convenção deste verão. A secretária Clinton não tem e não terá o número de delegados comprometidos necessários para garantir sua nomeação. Dependerá de superdelegados que só votam em 25 de julho e que podem mudar de opinião até lá. Esse grupo inclui mais de 400 superdelegados que apoiaram Clinton 10 meses antes das primeiras eleições primárias e cáucus, e muito antes de haver outros candidatos na corrida. Nosso trabalho até a convenção é convencer esses superdelegados de que Bernie é de longe o candidato mais forte contra Donald Trump”.

MAIS INFORMAÇÕES