Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

China inaugura a ponte de vidro mais alta e longa do mundo

A estrutura, com capacidade para 800 pessoas, foi construída 300 metros acima de um cânion

Na China há sempre espaço para o superlativo e o extravagante. Desta vez, o pais asiático concluiu a construção da ponte de vidro mais longa e mais alta do mundo, uma obra de engenharia imprópria para cardíacos que está 300 metros acima do Grand Canyon de Zhangjiajie, na província chinesa de Hunan. Aqueles que se atrevem a atravessá-la podem desfrutar, a partir deste sábado, de uma vista privilegiada dessas montanhas íngremes, às vezes cobertas com névoa, que inspiraram James Cameron para criar as montanhas flutuantes de Pandora, a lua habitada do filme Avatar.

 EL PAÍS VÍDEO

A ponte, segundo o parque natural, ostenta 10 recordes mundiais. Além de ser a mais alta do planeta, é também a mais longa (430 metros no total, 375m levando em conta apenas a parte suspensa), tem a maior plataforma do mundo para a prática de bungee jumping e o balanço mais longo da Ásia. A passarela é feita de grandes painéis de vidro de cerca de 6 metros de largura e tem capacidade para sustentar 800 pessoas. O famoso mirante sobre o Grand Canyon do Colorado, nos Estados Unidos, que tem 21 metros de comprimento e está suspenso a uma altura de 219 metros, fica muito pequeno em comparação com o do Zhangjiajie.

Inicialmente, a ponte deveria ter sido aberta ao público em outubro de 2015, em razão do feriado do Dia Nacional da China, mas a inauguração foi adiada porque os engenheiros decidiram submeter a estrutura a novos testes de segurança, e porque as fortes chuvas complicaram o término da construção.

A estrutura une dois penhascos do cânion e se sustenta graças a quatro imensas vigas de aço e concreto, duas em cada extremidade

A obra, criada pelo arquiteto israelense Haim Dotan, foi projetada para ser a mais “invisível possível, para não obstruir a visão”, disse Dotan na época. As imagens divulgadas pelo parque natural mostram uma estrutura que une dois penhascos do cânion e que se sustenta graças a quatro imensas vigas de aço e concreto, duas em cada extremidade. O investimento total somou 460 milhões de yuanes (cerca de 225 milhões de reais).

Zhangjiajie é um dos parques naturais mais visitados da China, sendo reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade desde 1992. Conta com mais de 3.000 pilares de rocha — os mais altos com 200 metros — que se destacam em uma densa floresta tropical. São o resultado de milhões de anos de erosão devido às fortes chuvas que atingem a região. Mais de 30 milhões de turistas visitam o parque todos os anos. O parque também conta, desde 2002, com um elevador de vidro que sobe até os 330 metros.

A China parece ter se focado em mirantes que causam vertigem para atrair turistas locais. Além da ponte em Zhangjiajie, o país inaugurou recentemente uma plataforma suspensa em forma de disco — também de vidro — no parque de Shilinxia, localizado nos arredores de Pequim. A atração se eleva a 30 metros de um impressionante barranco, e os visitantes podem apreciar paisagens de 360 graus a 400 metros de altitude.

Além de ser a mais alta do planeta, também é a mais longa (430 metros no total), e conta com a plataforma mais alta do mundo para a prática do bungee jumping e com o balanço mais longo da Ásia

Na província de Henan também foi concluída, em setembro passado, uma passarela de vidro em torno de uma montanha íngreme no parque natural Yuntaishan. A estrutura, no entanto, teve de ser fechada alguns dias após a inauguração, depois que um dos painéis quebrou devido ao impacto de um objeto. As autoridades do parque afirmaram que, apesar do susto causado nas dezenas de pessoas que passeavam na passarela naquele momento, a segurança “não foi comprometida em nenhum momento”, porque apenas uma das três camadas de vidro que formam a estrutura foi danificada.

Diante das dúvidas sobre segurança, antes da inauguração os responsáveis pelo parque natural organizaram diversas atividades para testar a resistência do vidro. Num desses testes, dezenas de voluntários bateram com a ajuda de um martelo em um dos vidros do solo da estrutura repetidamente. A primeira camada foi quebrada, mas as outras duas não foram danificadas. Para acabar com as dúvidas, um jipe circulou várias vezes sobre esse painel rachado, sem produzir maiores danos, para espanto — e sofrimento — dos espectadores.

MAIS INFORMAÇÕES