Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Jane e Stephen Hawking: a história de uma mente brilhante

Frente a um filme rasteiro e um pouco tolo, ‘A Teoria de Tudo – A Extraordinária História de Jane e Stephen Hawking’ é um retrato preciso de uma relação complexa

Jane e Stephen Hawking: a história de uma mente brilhante

Dois ratos conversam em uma antiga filmoteca enquanto comem restos de celuloide e um deles diz ao outro: “pois eu gostei mais do livro”. Esse rato poderia muito bem estar comendo um pedaço de A Teoria de Tudo, o filme baseado na obra de Jane Hawking no qual ela conta sua relação com o físico mais famoso do momento. Frente a um filme rasteiro e um pouco tolo, A Teoria de Tudo – A Extraordinária História de Jane e Stephen Hawking é um retrato preciso de uma relação complexa que desde o no início estava fadada a terminar: “que Stephen Hawking continuasse vivo 16 anos depois do diagnóstico fez dele um fenômeno médico”.

Essa é a história de uma das mentes mais brilhantes no último terço do século XX em um dos corpos mais devastados. Tão devastado que em 1963 deram-lhe dois anos de vida e ele continua aí, brilhante em seu trabalho científico, sem renunciar ao humor, montado sobre seu ego e seu gosto pela publicidade, de acordo com o relato da primeira de suas três esposas que, durante 25 anos foi sua enfermeira, gerente, companheira e muito mais, mas não sua confidente. Essa incapacidade de falar sobre o que não fosse “a deusa física”, que, segundo a autora, Hawking herdou de sua família, levantou algumas barreiras no relacionamento e acabou tornando-a impossível. Uma enfermeira fofoqueira e pouco escrupulosa e um músico amável, um de cada lado do casal, também contribuíram para a ruptura.

Este livro é o segundo que Jane Hawking escreveu sobre a relação com o cosmólogo. O primeiro, Music to Move the Stars: A Life with Stephen (não traduzido para o português; na Amazon, as edições custam a partir de 602 reais) foi escrito em 1999, nove anos depois da separação e quatro do divórcio. Esta nova redação, publicada originalmente em 2008, deu origem ao edulcorado roteiro do filme.

O livro, no entanto, é mais verdadeiro. O relato das dificuldades dos primeiros anos, especialmente as econômicas –derivadas dos enormes gastos causados pela doença do neurônio motor que Hawking padece–, poderia se parecer com centenas de narrativas, mas esta se refere ao físico mais influente do fim do século passado. A publicação do best-seller Uma Breve História do Tempo permitiu à família viver com mais folga, mas isso não impediu que Jane Hawking, ativista de muitas causas, continuasse se queixando do abandono dos vários governos britânicos, principalmente o de Margaret Thatcher, e de uma saúde pública desmantelada. Um pouco de divulgação científica, um pouco de desmitificação do herói, um pouco de problemas com a família dele e muito amor e humor compõem este interessante retrato de um casal como todos, ou seja, muito especial.

A Teoria de Tudo – A Extraordinária História de Jane e Stephen Hawking. Jane Hawking. Única Editora, São Paulo, 2014, 448 páginas, 39,90 reais.

MAIS INFORMAÇÕES