Redes sociais

Como é a mansão que 19 estrelas do TikTok dividem em Los Angeles

Jovens de 15 a 21 anos estabeleceram um ‘coworking’ de luxo em um casarão palaciano com piscina, onde criam conteúdo para suas redes de milhões de seguidores. Quatro deles moram ali de modo permanente

Aos 17 anos, Chade Hudson tem mais de nove milhões de seguidores no TikTok e ultrapassa 14 milhões se forem consideradas as suas contas do Instagram e Snapchat. Desde dezembro, Hudson divide uma casa com outros 18 jovens entre 15 e 21 anos em uma colina de Los Angeles. Todos eles têm milhões de seguidores online. Todos cantam, dançam e gravam vídeos. E agora todos trabalham em uma impressionante mansão de estilo espanhol, com enormes banheiros, piscina, terraços com vista para o jardim e grandes janelas, batizada de Hype House.

Esta mansão TikTok tem conta própria nessa rede social e em apenas dois meses alcançou 5,2 milhões de seguidores. Seus membros dizem que é uma content house (casa de conteúdo), um local de reunião onde seu trabalho consiste em alimentar suas redes sociais. Nas imagens que se veem quase não há móveis, mas, sim, equipamentos de vídeo e fotografia, porque a casa de ares palacianos é, na verdade, uma espécie de coworking de luxo onde essas jovens estrelas —Charlie D’Amelio, a caçula do grupo, tem apenas 15 anos e 17,8 milhões de seguidores no seu perfil do TikTok— desenvolvem suas carreiras e fortalecem uma rede de contatos de trabalho (enquanto tomam sol ou posam ao lado de uma roseira).

View this post on Instagram

The squad❤️

A post shared by Hype House (@thehypehousela) on

Quatro dos membros do coletivo vivem permanentemente na casa: Chade Hudson (17), Thomas Petrou (21), Daisy Keech (20) e Kouvr Annon (19). A ideia de criar essa comunidade foi de Hudson, que, segundo contou em um artigo publicado no The New York Times no início de janeiro, decidiu em novembro procurar um casarão, que pretendia chamar de House of Olympus. Foi seu companheiro Alex Warren que sugeriu o nome de Hype House, mais relacionado a seu trabalho como influencer e distante dos vínculos com as irmandades universitárias norte-americanas.

Porque a mansão TikTok é um espaço de trabalho, não de festas, como os fundadores quiseram deixar bem claro. "Esta casa foi projetada para a produtividade. Se você quer festas, há milhares de casas onde fazem uma em Los Angeles todo fim de semana. Mas não queremos ser isso. Não é o estilo da marca pessoal de ninguém nesta casa”, explicou Petrou no The New York Times. Por isso, segundo enfatizou na reportagem, criaram regras que ninguém pode ignorar: todos podem convidar amigos, mas sem interromper o trabalho dos outros; se algo for quebrado, quem o fizer deve providenciar a reposição em 15 dias; e os membros do grupo têm de produzir conteúdo diariamente. Além disso, se um membro tem um relacionamento amoroso, tem que evitar ser filmado sozinho com ele ou ela, para não dar margem a boatos.

Os requisitos que o coletivo levou em consideração ao escolher a casa eram que fosse luminosa, ampla e com espaços “fotogênicos”, como o jardim e a piscina. Para eles, é o cenário em que gravam os vídeos que milhares de adolescentes consomem e compartilham diariamente. E, embora o preço do aluguel da mansão TikTok não tenha sido revelado, é certo que eles o podem amortizar: para fazer seus vídeos e fotos, muitos desses jovens influencers costumam alugar casas ou apartamentos pelo Airbnb, mas em Los Angeles se deparam com um entrave: em vários desses aluguéis há uma cláusula de não filmagem que os impede de fazer gravações ali e depois publicar esse conteúdo em suas redes.