Twitter busca voluntários para testar “conversas mais saudáveis” entre usuários

Rede social explora novas funções como publicação de status e sugestão de tuítes para "quebrar o gelo"

Um usuário checa sua conta de Twitter. 
Um usuário checa sua conta de Twitter. Getty Images

Mais informações

O dia 27 de agosto de 2007 foi a primeira vez que alguém propôs o uso de hashtags no Twitter. O usuário Chris Messina sugeriu o recurso para unificar conversas na rede social. Mais de uma década depois, as hashtags são um dos símbolos da era digital, e o Twitter destaca a importância das avaliações dos usuários antes de fazer alterações na plataforma. Por isso, quer que alguns voluntários experimentem novas funções na rede social que visam estimular "conversas mais saudáveis", como explica a empresa à mídia especializada em tecnologia Engadget. Entre as possíveis alterações se sobressaem a inclusão de status que complementem a descrição do perfil e a sugestão de tuítes para "quebrar o gelo".

O Twitter planeja lançar uma versão beta pública nas próximas semanas para que milhares de usuários participem. Qualquer pessoa pode pedir para fazer parte dessa experiência, mas a rede social permitirá que apenas uma pequena porcentagem de usuários teste as novas funções. "Queremos desenvolver um serviço para as pessoas que o estão usando e temos que envolvê-las nisso", disse Sara Haider. A diretora de Gerenciamento de Produtos do Twitter declarou na CES, a maior feira de eletrônicos de consumo do mundo, que o objetivo é reunir o máximo de informações possível sobre a aceitação pelos usuários dessas novas funções antes de lançá-las definitivamente.

Sequência de uma mudança de status no Twitter e de exemplos de conversas para quebrar o gelo.
Sequência de uma mudança de status no Twitter e de exemplos de conversas para quebrar o gelo.

Uma das mudanças que o Twitter quer testar é mostrar um indicador que avise quando alguém está conectado. Esse recurso está disponível em outras redes sociais, como o Facebook Messenger e o Instagram, que permitem ver quais usuários estão ativos ou qual foi a última vez que se conectaram. Com esta ferramenta, a empresa quer promover uma comunicação mais direta.

Outra estratégia do Twitter para encorajar conversas entre os internautas é incluir publicações "para quebrar o gelo". Trata-se de mensagens predefinidas que permitiriam iniciar uma conversa rapidamente com outros usuários. "Eu gostaria de saber ..." ou "Alguém entende de...?" poderiam ser algumas das sugestões da rede social para se iniciar uma conversa.

Além disso, a empresa estuda há algum tempo a possibilidade de mudar o design de respostas às publicações e tópicos no Twitter. Em agosto de 2018, Haider solicitou aos usuários, por meio de um tuíte, sua opinião sobre possíveis novos designs. A empresa agora planeja adicionar brilho, cores ou recuos de margem a alguns tuítes para melhorar a experiência dos internautas.

A rede social também planeja testar uma opção para que os usuários possam colocar um status. Esse recurso está disponível em outras plataformas, como WhatsApp e Slack, e lembra os antigos status do Windows Live Messenger. No momento, há quem mude sua descrição para explicar, por exemplo, que vai participar de um certo evento, como a CES. Essa ferramenta pode ser especialmente útil quando os tuiteiros estão nesse tipo de evento ou viajando em um determinado país. Isto é, pode servir para fornecer contexto aos seguidores e informá-los sobre quais tópicos serão tuitados em um determinado período de tempo.

Todas essas alterações fazem parte da iniciativa do Twitter para ajudar a fomentar interações positivas entre os usuários. "Estamos fazendo grandes mudanças na aparência das conversas no Twitter e não queremos revelá-las de repente, um dia, porque, e se não gostarem?", disse Haider ao Engadget. O Twitter quer que a comunidade de usuários seja parte da mudança: "Temos uma plataforma que o mundo usa para dizer o que pensa, por que não usar isso como parte de nosso processo de desenvolvimento?"

Adeus ao formato de imagens PNG

A partir de 11 de fevereiro, a maioria das imagens enviadas ao Twitter no formato PNG será convertida em JPG. O funcionário da empresa Nolan O'Brien explicou em um comunicado que "no mundo das pessoas que querem navegar na web muitas só podem ter acesso à Internet em velocidades de 2G e outra grande parte tem Internet lenta ou pouco confiável". A publicação de imagens PNG no Twitter, de acordo com esse funcionário, faz com que os usuários se deparem com grandes downloads de arquivos: "Costumam ser entre seis e nove vezes maiores que seus equivalentes em JPEG". O tempo que se leva para enviar essas fotos não é o mesmo para todos os usuários. Enquanto para alguns isso quase não constitui esforço, "para a maior parte do mundo há muitos segundos de espera". Mesmo assim, O'Brien explicou no Twitter que as imagens com menos de 900 pixels ou que forem carregadas no formato PNG8 não serão transformadas em JPEG.