Seleccione Edição
Login
inundações veneza
Um turista caminha pelas ruas alagadas em Veneza. Getty Images
13 fotos

As inundações em Veneza, em imagens

75% da cidade está submersa, com um máximo de 156 centímetros atingidos pela maré alta. Se trata da maior 'acqua alta', como esse fenômeno é conhecido, desde 2008. A forte tempestade que atinge a Itália desde domingo já causou 10 mortes

  • Um farmacêutico observava a maré alta desde a porta de seu estabelecimento em Veneza (Itália), nesta segunda-feira, 29 de outubro. Devido ao nível excepcional de maré alta que alcançou os 156 centímetros, as autoridades fecharam as escolas e hospitais, aconselhando aos cidadãos que não abandonassem seus lares.
    1Um farmacêutico observava a maré alta desde a porta de seu estabelecimento em Veneza (Itália), nesta segunda-feira, 29 de outubro. Devido ao nível excepcional de maré alta que alcançou os 156 centímetros, as autoridades fecharam as escolas e hospitais, aconselhando aos cidadãos que não abandonassem seus lares. Getty Images
  • Uma placa derrubada durante uma tormenta na noite de segunda-feira em Veneza. Dez pessoas faleceram na Itália por causa do temporal de fortes ventos e chuvas torrenciais, que mantém em alerta várias regiões do país.
    2Uma placa derrubada durante uma tormenta na noite de segunda-feira em Veneza. Dez pessoas faleceram na Itália por causa do temporal de fortes ventos e chuvas torrenciais, que mantém em alerta várias regiões do país. EFE
  • Um trabalhador limpa, nesta terça-feira, com uma mangueira, o chão de madeira do histórico Caffè Florian, na praça de São Marcos, em Veneza.
    3Um trabalhador limpa, nesta terça-feira, com uma mangueira, o chão de madeira do histórico Caffè Florian, na praça de São Marcos, em Veneza. AP
  • Uma gôndola navega em um dos canais de Veneza, onde as ruas estão inundadas, com previsão de que a maré alta alcance os 110 centímetros nesta terça-feira.
    4Uma gôndola navega em um dos canais de Veneza, onde as ruas estão inundadas, com previsão de que a maré alta alcance os 110 centímetros nesta terça-feira. Getty Images
  • Dois turistas suspendem um carrinho de bebê para cruzar as ruas alagadas em Veneza (Itália), na segunda-feira. Ao fundo, a Ponte Rialto, que cruza o Grande Canal da cidade.
    5Dois turistas suspendem um carrinho de bebê para cruzar as ruas alagadas em Veneza (Itália), na segunda-feira. Ao fundo, a Ponte Rialto, que cruza o Grande Canal da cidade. Getty Images
  • Pedestres atravessam pontes provisórias para cruzar a praça de São Marcos durante a maré, na segunda-feira, em Veneza.
    6Pedestres atravessam pontes provisórias para cruzar a praça de São Marcos durante a maré, na segunda-feira, em Veneza. AFP
  • Os turistas cruzam as ruas de Veneza com a bagagem sobre suas cabeças e com protetores plásticos até os joelhos para tentar não se molhar. Em algumas zonas da cidade, a água alcançou 156 centímetros sobre o solo.
    7Os turistas cruzam as ruas de Veneza com a bagagem sobre suas cabeças e com protetores plásticos até os joelhos para tentar não se molhar. Em algumas zonas da cidade, a água alcançou 156 centímetros sobre o solo. Getty Images
  • Vários pessoas tentam caminhar em frente à estação de trem em Veneza. Além das inundações, os fortes ventos do temporal provocaram a queda de dezenas de árvores em toda a Itália.
    8Vários pessoas tentam caminhar em frente à estação de trem em Veneza. Além das inundações, os fortes ventos do temporal provocaram a queda de dezenas de árvores em toda a Itália. Getty Images
  • As intensas tormentas e ventos que açoitam a Itália desde o domingo, provocadas pela tormenta Adrián, a primeira em receber nome no Mediterrâneo, já provocaram pelo menos 10 mortes. Em 48 horas, as autoridades realizaram mais de 7.000 operações de resgate.
    9As intensas tormentas e ventos que açoitam a Itália desde o domingo, provocadas pela tormenta Adrián, a primeira em receber nome no Mediterrâneo, já provocaram pelo menos 10 mortes. Em 48 horas, as autoridades realizaram mais de 7.000 operações de resgate. AP
  • Um senhor caminha pelas passarelas improvisadas em Veneza depois da inundação causada pela maré alta, fenômeno que se conhece como 'acqua alta', que, nesta ocasião, subiu até os 156 centímetros (maior subida desde 2008).
    10Um senhor caminha pelas passarelas improvisadas em Veneza depois da inundação causada pela maré alta, fenômeno que se conhece como 'acqua alta', que, nesta ocasião, subiu até os 156 centímetros (maior subida desde 2008). Getty Images
  • As autoridades suspenderam o serviço de transporte público urbano, os 'vaporetti'. Na imagem, a praça e a basílica de São Marcos.
    11As autoridades suspenderam o serviço de transporte público urbano, os 'vaporetti'. Na imagem, a praça e a basílica de São Marcos. Getty Images
  • Um vendedor retira água de sua loja em Veneza (Itália), no dia 29 de outubro de 2018. Seis regiões italianas estão em alerta vermelho pelo forte temporal e as intensas chuvas que estão açoitando o país nos últimos dias.
    12Um vendedor retira água de sua loja em Veneza (Itália), no dia 29 de outubro de 2018. Seis regiões italianas estão em alerta vermelho pelo forte temporal e as intensas chuvas que estão açoitando o país nos últimos dias. EFE
  • Turistas caminham pelas ruas alagadas de Veneza, na segunda-feira, 29 de outubro. Os meteorologistas preveem uma melhora nas condições climáticas. Nas últimas 48 horas, foram realizadas mais de 7.000 operações de resgate em toda a Itália.
    13Turistas caminham pelas ruas alagadas de Veneza, na segunda-feira, 29 de outubro. Os meteorologistas preveem uma melhora nas condições climáticas. Nas últimas 48 horas, foram realizadas mais de 7.000 operações de resgate em toda a Itália. AFP