COPA DO MUNDO RÚSSIA 2018

As revisões do VAR que poderiam ter mudado o rumo da Copa

O sistema de videoarbitragem, adotado pela primeira vez em uma competição internacional de alto nível, repercutiu no veredito do árbitro em 12 dos 40 jogos disputados

O árbitro consulta o ‘replay’ das imagens com a tecnologia VAR no jogo disputado entre a Nigéria e a Islândia em 22 de junho.
O árbitro consulta o ‘replay’ das imagens com a tecnologia VAR no jogo disputado entre a Nigéria e a Islândia em 22 de junho.Themba Hadebe / AP

A Copa do Mundo da Rússia é a primeira que adotou o sistema de videoarbitragem VAR (Video Assistant Referee, na sigla em inglês) para ajudar os juízes a tomar as decisões corretas durante as partidas e evitar erros grosseiros que prejudiquem o resultado final dos jogos. Desde que começou o evento esportivo, no dia 14 de junho, até esta terça-feira, foram 40 jogos e, em 12 deles, o árbitro de vídeo foi utilizado. Estas são as revisões do VAR que conseguiram modificar as decisões dos árbitros:

Argentina x Nigéria

No EL PAÍS, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por 1 euro no primeiro mês e 10 euros a partir do mês seguinte, sem compromisso de permanência.

Inscreva-se

Mais informações