Seleccione Edição
Login
COLUNA

Não estávamos preparados para descobrir todo esse subconsciente repugnante

Nas redes sociais, os justiceiros e os loucos por protagonismo estão mostrando seu subconsciente inclusive através da piada mais absurda

Uma multidão fotografa um ato com seu móvel.
Uma multidão fotografa um ato com seu móvel.

Estamos nos perguntando, em relação às redes sociais, se elas melhoram a convivência, se são úteis, se aumentam ou diminuem a capacidade de raciocínio das pessoas. Não há dúvidas de que elas agilizaram o comércio, o imediatismo e as chicotadas da opinião pública. Ao estarmos sempre com os celulares, somos receptores perpétuos, emissores constantes, oferecemos uma série de interesses para quem quiser especular com eles. Nos últimos tempos também descobrimos que os celulares servem para exibir o nosso subconsciente. Até agora o subconsciente era uma coisa que guardávamos para nós mesmos, nem éramos capazes de acessá-lo e às vezes tínhamos que recorrer à hipnose, ao álcool ou à psiquiatria. Expor o subconsciente era uma tarefa de desinibição que exigia um esforço às vezes dramático, como se tivéssemos que intervir com um bisturi em nossas próprias vísceras. Mas graças ao celular, o subconsciente está agora nas redes, nos bate-papos, nas mensagens mais cotidianas.

Ficamos surpresos até mesmo com a facilidade com que muitas pessoas se mostram em público ou nessa privacidade fingida das redes. Não têm receio de levar sua pré-consciência para dar um passeio em uma exibição grotesca. Nem é preciso que um juiz ordene a intervenção das ligações para ver essas conversas que fazem parte da nova era da nudez. Da nudez roubada em uma praia passamos à nudez das conversas vazadas de processos e investigações. É o novo pornô, espiar a intimidade de dirigentes, corruptos, lobistas e galãs. Mas existe essa outra nudez voluntária que é a de ver o subconsciente de muitos que a levaram para passear.

Todos que comemoram a morte de alguém, todos esses justiceiros das redes, todos esses loucos por protagonismo estão mostrando seu subconsciente inclusive através da piada mais absurda, do comentário mais inútil, do insulto mais brincalhão. Pegue o meu subconsciente, é o que estão dizendo. A Espanha está escandalizada por conta de uns policiais que se declaravam, entre piadas e em um grupo de WhatsApp, nazistas e assassinos, com orgulho que mostrava um subconsciente não detectado nem pelo especialista responsável por fazer o teste psicotécnico que os habilitou a serem servidores públicos armados. Mostraram em chats sem nenhuma repressão. Aí está meu subconsciente. Os estupradores, os que superam os limites de trânsito, os que matam animais indefesos, qualquer transgressão, se não estiver na rede, perde potência. Só que não estávamos preparados, como sociedade, para descobrir que tanto subconsciente é criminoso e repugnante. É bom vê-lo, ainda que o nojo seja notável.

MAIS INFORMAÇÕES