Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

De Calais a Dover num ‘carro voador’ sobre o Canal da Mancha

O piloto francês Bruno Vezzoli voou entre os dois extremos, separados por 59 quilômetros, em menos de uma hora

O carro batizado de Pegaso ATLAS

Na quarta-feira passada, o piloto francês Bruno Vezzoli, a bordo de um carro voador híbrido (metade buggy, metade parapente), cruzou o Canal da Mancha – do noroeste da França até o sul do Reino Unido – em menos de uma hora. Vezzoli decolou numa pista abandonada, que era usada em tempos de guerra nas proximidades da cidade francesa de Calais. Seu objetivo era cobrir a distância de 59 quilômetros que o separava da cidade inglesa de Dover. O piloto, que realizou a proeza sob excelentes condições atmosféricas, declarou à Reuters que seu maior temor era que a “máquina sofresse uma avaria em pleno voo”.

Batizado de Pegaso, o carro voador atinge 100 km/h na estrada e pouco mais de 80 km/h no ar, graças a um propulsor a hélice que lhe confere autonomia de até três horas em seus périplos aéreos. Desta vez, o aparelho conseguiu se estabilizar após a decolagem graças aos movimentos feitos por Vezzoli, de um lado para outro, a fim de ganhar altitude. “Se precisasse fazer um pouso de emergência na água, teria sido mais complicado por não se tratar de um avião”, afirmou.

Pegaso concluiu o trajeto perto da cidade portuária de Dover, onde era esperado por seu criador, Jerome Dauffy. Esse empreendedor inspirou-se na façanha do piloto Louis Blériot, que em 1909 cruzou o Canal da Mancha pela primeira vez na história.

“As indústrias automotiva e aeronáutica nasceram há um século. Agora conseguimos combiná-las”, afirmou Dauffy. Uma de suas prioridades é construir uma máquina voadora capaz de dar a volta ao mundo em 80 dias. Pegaso realizou o primeiro voo dias antes da realização em 2014 da Eurosatory, a maior feira europeia de armamento terrestre, que atraiu mais de 55.000 visitantes.

Vezzoli não esteve sozinho durante a viagem. Vários pilotos o acompanharam e fotografaram a bordo de paramotores (pequenas aeronaves formadas por um motor a hélice e um parapente). A saga foi transmitida ao vivo pelo Facebook, para que Vezzoli compartilhasse o voo e o momento do pouso com seus seguidores.

MAIS INFORMAÇÕES