Madonna confessa no ‘Carpool Karaoke’ que beijou Michael Jackson

A cantora se animou e dançou 'twerking' no carro de James Corden

Não há estrela que resista ao “Carpool Karaoke”, quadro apresentado por James Corden no programa “The Late Late Show”. A última a pegar carona em seu carro foi Madonna. A rede CBS divulgou uma curta prévia do programa, que vai ao ar nesta quarta-feira nos Estados Unidos, e apresenta a diva pop como “a artista feminina que mais vendeu álbuns em todos os tempos. Mais de 300 milhões. Sete Grammys”.

Mais informações

No teaser, Corden aparece dirigindo e agradecendo seu copiloto — quando ainda não se sabe quem é — pela rota turística oferecida em Nova York: “Obrigado, não conhecia a cidade tão bem”, diz ao copiloto, e continua: “Você se importa se eu colocar uma música?”. Em seguida, a câmera foca em Madonna, revelando assim quem é a acompanhante do apresentador.

Vestida com uma jaqueta de couro, calças, camiseta e luvas pretas, a diva do pop, de 58 anos, se anima e dança twerking dentro do veículo, depois de fazer poses ao estilo Vogue. “Você passou uma noite em casa ou na rua com Michael Jackson?”, Corden pergunta à cantora em outro momento. E ela revela que se beijaram. Teremos que esperar até esta quarta-feira para saber a história completa do affair entre os reis do pop.

Madonna contra Trump

Em uma entrevista à revista Billboard publicada nesta segunda-feira, a diva do pop voltou a falar do próximo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Na entrevista, comentou sobre a vitória do magnata, revelando como se sentiu quando soube do resultado das eleições. “Como se alguém tivesse morrido. Uma mistura de traição e desgosto. Como quando alguém que você ama mais do que qualquer coisa te abandona. Acordo todas as manhãs e digo: ‘Ah, um momento, Donald Trump ainda é presidente’, e não foi um pesadelo. Sinto que as mulheres nos traíram. A porcentagem de mulheres que votaram nele foi absurdamente alta”, lamenta a estrela.

Além disso, durante o concerto de caridade que realizou no Art Basel de Miami, em 2 de dezembro, Madonna fez uma versão da canção de Britney Spears, Toxic, enquanto nos telões eram projetadas fotos de Trump. Então Madonna, sentada em uma cadeira, virou-se para o telão e parou de cantar para ler as declarações do próprio Trump. “Vou construir um grande muro na fronteira sul e farei com que o México pague esse muro” ou “se Ivanka não fosse minha filha, acho que sairia com ela” foram algumas delas.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: