Seleccione Edição
Login

A vida sob a lama em Mariana

13 fotos

Rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, completa 12 meses. Pessoas que viram seu passado ser levado por um tsunami de rejeitos ainda sofrem com a tragédia e lutam para serem indenizados

  • Desastre de Mariana completa um ano
    1No dia 5 de novembro, a barragem de Fundão se rompeu produzindo uma onda de 40 milhões de m³ de rejeitos que arrasou o povoado de Bento Rodrigues .A tragédia matou 19 pessoas e milhares de desabrigados. Na parte baixa do vilarejo foram poucas as paredes que ficaram de pé.
  • Um ano após a tragédia, o verde ressurge no vilarejo fantasma.
    2Um ano após a tragédia, o verde ressurge no vilarejo fantasma.
  • Uma das paredes que resistiram em pé ao tsunami de rejeitos é a da Escola Municipal de Bento Rodrigues.
    3Uma das paredes que resistiram em pé ao tsunami de rejeitos é a da Escola Municipal de Bento Rodrigues.
  • Hoje, em meio às ruínas de Bento, está instala uma nova placa: "Ao ouvir a sirene, evacue a área". Parece uma ironia para quem morava ali. Após a tragédia, a mineradora decidiu instalar sirenes onde há população perto das barragens.
    4Hoje, em meio às ruínas de Bento, está instala uma nova placa: "Ao ouvir a sirene, evacue a área". Parece uma ironia para quem morava ali. Após a tragédia, a mineradora decidiu instalar sirenes onde há população perto das barragens.
  • Quase 500 casas foram destruídas ou danificadas na região próxima a barragem de Fundão após o seu rompimento.
    5Quase 500 casas foram destruídas ou danificadas na região próxima a barragem de Fundão após o seu rompimento.
  • Após o rompimento da barragem, vazaram do reservatório de Fundão em 15 minutos cerca de 40 milhões de m³ de rejeitos. A mineradora ainda não sabe o que fará no futuro com Fundão.
    6Após o rompimento da barragem, vazaram do reservatório de Fundão em 15 minutos cerca de 40 milhões de m³ de rejeitos. A mineradora ainda não sabe o que fará no futuro com Fundão.
  • Atualmente a Samarco, que teve as atividades interrompidas desde a tragédia, trabalha na recuperação de diques que foram impactados com o rompimento abrupto da barragem.
    7Atualmente a Samarco, que teve as atividades interrompidas desde a tragédia, trabalha na recuperação de diques que foram impactados com o rompimento abrupto da barragem.
  • Flores dão certo alento para o cenário de destruição.
    8Flores dão certo alento para o cenário de destruição.
  • Parte de uma mesa de totó atravessa a porta de local onde funcionava a mercearia do Barbosa.
    9Parte de uma mesa de totó atravessa a porta de local onde funcionava a mercearia do Barbosa.
  • Antônio Quintão, 56, perdeu duas propriedades no vilarejo de Bento Rodrigues e hoje sonha com a nova casa que vai receber da Samarco na região de Lavoura. Atualmente os atingidos recebem um salário mensal por família, mais 20% para cada dependente e uma cesta básica.
    10Antônio Quintão, 56, perdeu duas propriedades no vilarejo de Bento Rodrigues e hoje sonha com a nova casa que vai receber da Samarco na região de Lavoura. Atualmente os atingidos recebem um salário mensal por família, mais 20% para cada dependente e uma cesta básica.
  • Sandra Quintão, era proprietária de um restaurante famoso pelas coxinhas, que foi destruído em Bento Rodrigues. Hoje ela continua cozinhando e vende os salgados na feira.
    11Sandra Quintão, era proprietária de um restaurante famoso pelas coxinhas, que foi destruído em Bento Rodrigues. Hoje ela continua cozinhando e vende os salgados na feira.
  • Após a tragédia, a Samarco reforçou o sistema de monitoramento 24h das barragens com novos equipamentos para a inspeção dos diques e demais estruturas do complexo.
    12Após a tragédia, a Samarco reforçou o sistema de monitoramento 24h das barragens com novos equipamentos para a inspeção dos diques e demais estruturas do complexo.
  • Parte do terreno de Bento Rodrigues está começando a alagar com a construção de um novo dique entre o povoado e o Rio Gualaxo.
    13Parte do terreno de Bento Rodrigues está começando a alagar com a construção de um novo dique entre o povoado e o Rio Gualaxo.