Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Já sabe onde assistir à final da Copa do Brasil de futebol feminino?

Audax/Corinthians x São José ocorre às 19h30 desta quinta-feira, e terá cobertura apenas na Internet

Jogadoras disputam a primeira final, empatada por 2 a 2.
Jogadoras disputam a primeira final, empatada por 2 a 2. Audax

A competição de futebol feminino na Olimpíada do Rio trouxe à tona mais uma vez a discussão sobre o desinteresse de grandes patrocinadores, veículos de mídia e público pela modalidade e os desafios para que esse panorama mude. Durante a competição, houve o apoio incondicional à equipe comandada pelo técnico Vadão e liderada em campo por Marta, mas, passado ao frisson dos Jogos Olímpicos, de volta à normalidade decepcionante. Prova disse é que, pouco mais de dois meses após a Rio 2016, a Copa do Brasil de futebol feminino conhecerá a equipe campeã com transmissão apenas pela Internet.  O segundo jogo da final - a primeira partida terminou empatada por 2 a 2—  entre Audax/Corinthians x São José— será disputado no Estádio José Liberatti, o Estádio do Rochdale, em Osasco, às 19h30 (de Brasília) desta quinta-feira.

A transmissão ao vivo da decisão será feita no perfil do Facebook do Audax, que tem feito a cobertura de todas as partidas da equipe, da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e da FPF (Federação Paulista de Futebol); Bola Feminina e Arquibancada Esporte Clube farão a cobertura em suas web rádios. Ao contrário da Copa do Brasil masculina e da Rio 2016, o campeonato não teve transmissão de nenhum canal de televisão.

O torneio, que começou no dia 24 de agosto, três dias após o encerramento dos Jogos, tem os mesmos moldes de sua versão no futebol masculino, com times de diversas divisões e no sistema de mata-mata. O Audax, que neste ano fez parceria com o Corinthians no futebol feminino, tem feito as transmissões de suas partidas ao vivo pela página do clube no Facebook. A média de visualizações por jogo está em cerca de 15.000, o que pode ser considerado um bom público na rede, uma vez que o clube tem pouco mais de 180.000 seguidores no perfil. Bastou um compartilhamento da CBF, na partida contra o Flamengo pelas quartas de final do torneio, para que a transmissão atingisse o maior pico de audiência registrado pela página oficial: 90.000 pessoas assistindo à partida na rede social.

O pico de atração alcançado serve de exemplo para o argumento de que há pouco público e audiência porque não há divulgação dos campeonatos e dos esportes femininos. O problema não é apenas da Copa do Brasil. Em 19 de agosto, com o futebol feminino da Olimpíada ainda fresco, a segunda competição mais importante da modalidade a nível nacional não foi televisionada. Sem divulgação e sem transmissões, o público caiu drasticamente, mesmo que as entradas fossem — e ainda são — gratuitas ou, em casos especiais, pagas com um 1Kg de alimento não perecível.

Ainda haverá, nesta temporada, a disputa da da Copa Libertadores de Futebol Feminino, que contará com as brasileiras da Ferroviária e do Rio Preto, ambos times do Estado de São Paulo, que se classificaram por vencer, respectivamente, o Campeonato Brasileiro e a Libertadores de 2015. A competição continental ocorre no mês de dezembro, entre os dias 6 e 20, no Uruguai.

MAIS INFORMAÇÕES