Seleccione Edição
Login

FIFA mantém punição a Real Madrid e Atlético por contratação de menores

O Comitê de Apelação da organização recusou os recursos de ambos os clubes

Real e Atlético não poderão contratar até 2018, caso não revertam a decisão no TAS

Sancion FIFA
Presidente da FIFA, Gianni Infantino (esq.), e Fernando Gomes (dir.), da Federação Portuguesa. EFE

O Comitê de Apelação da FIFA rejeitou os recursos do Atlético e do Real Madrid e manteve a punição de duas janelas para transferências de jogadores, assim como uma multa de 900.000 francos suíços (cerca de 3 milhões de reais) para o Atlético e de 360.000 (cerca de 1,3 milhão de reais) para o clube do Santiago Bernabéu.

Ambos os clubes ainda podem recorrer ao Tribunal de Arbitragem Esportiva (TAS). Se esse tribunal mantiver a punição, nem o Real Madrid nem o Atlético poderão assinar contratos até janeiro de 2018. No entanto, se ambas as equipes decidirem solicitar uma medida cautelar ao TAS, podem atrasar a punição por mais dois anos. O Barcelona, quando foi proibido de fazer contratações pela mesma razão, não recorreu porque estava imerso no processo das eleições presidenciais.

Comunicado da FIFA

Comunicado oficial do Real Madrid depois da punição

Diante da resolução da Comissão de Apelação da FIFA conhecida hoje (quinta-feira), o Real Madrid C. F. manifesta o seguinte:

1. Que lamenta a citada resolução ao entender que é profundamente injusta e contrária aos princípios mais elementares do direito penal.

2. O clube formulará o correspondente recurso de apelação diante do Tribunal de Arbitragem Esportiva (TAS), solicitando a revogação total da mesma, com a plena convicção de obter uma resolução totalmente favorável diante da citada organização.

3. O Real Madrid CF solicitará que o procedimento seja avaliado pela via de urgência, a fim de obter a resolução do TAS o mais rapidamente possível.

A Comissão de Apelação da FIFA decidiu rejeitar os recursos interpostos pelos times espanhóis Club Atlético de Madrid e Real Madrid CF e confirmou em sua totalidade as punições impostas pela Comissão Disciplinar da FIFA, nos casos referentes à proteção de menores no futebol.

Como resultado da violação dos artigos 5, 9, 19 e 19 bis, bem como os anexos 2 e 3 do Regulamento sobre o Estatuto e Transferência de Jogadores (denominado “o regulamento”), ambos os clubes serão proibidos de contratar qualquer jogador nacional ou estrangeiro durante os próximos dois períodos completos de contratação. Essa proibição afeta ambos os clubes como um todo, com exceção das seções de futebol feminino, futsal e futebol de praia. No entanto, a liberação de jogadores não está proibida.

Além disso, os dois clubes foram multados: o Club Atlético de Madrid terá que pagar 900.000 francos suíços, e o Real Madrid, 360.000 francos suíços. Também receberam uma advertência e têm um prazo de 90 dias para regularizar a situação de todos os menores afetados.

As resoluções aprovadas pela Comissão de Apelação da FIFA foram comunicadas nesta quinta-feira, 8 de setembro, às partes envolvidas.

Villarreal e Valência podem ser os próximos danificados

A FIFA não descansa em seu esforço por regularizar a situação das crianças que mudam de residência pelo futebol e por castigar os clubes que descumprem suas normas. O Barcelona já cumpriu sua multa e Real Madrid e Atlético o farão tarde ou cedo, salvo milagre no TAS. O máximo organismo do futebol está investigando, além disso, o Villarreal e o Valência, que são conscientes de que podem ser sancionados no próximo trimestre.

A FIFA tem indícios de que ambos os clubes cometeram as mesmas irregularidades que Barcelona, Real Madrid e Atlético, que se preparam para ter um período de abstinência de contratos. A investigação se originou depois do chamado Projeto Wanda, um acordo de colaboração entre as duas entidades levantinas, o gigante empresarial asiático e o Governo chinês para a formação de várias crianças dentre 13 e 15 anos. Ao Valência, além disso, foram pedidas explicações por dois menores — um turco e outro sul-coreano. O clube se defendeu alegando que os meninos não jogaram em equipes federadas. Em 2009 a FIFA puniu com dois anos sem poder assinar o Chelsea por irregularidades no contrato do francês Gael Kakuta, então de 17 anos, mas o clube recorreu e ganhou nos tribunais.

MAIS INFORMAÇÕES