Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

FIFA pune o Barça com um ano sem assinar contratos

O órgão máximo do futebol castiga a equipe e a Federação espanhola por infrações relacionadas com a negociação e a inscrição de jogadores menores de 18 anos

"Se constatou que o Barcelona infringiu o artigo 19 do regulamento com dez futebolistas menores de idade e cometeu outras violações relacionadas a outros jogadores", segundo detalha o comunicado

Neymar, o último grande contrato do Barcelona.
Neymar, o último grande contrato do Barcelona. AFP

A Comissão Disciplinar da FIFA puniu Barcelona e a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) por infrações relacionadas com a negociação e a inscrição de jogadores menores de 18 anos, castigando o clube azul-grená com a proibição de realizar contratos tanto nacionais como internacionais durante "dois períodos consecutivos e completos" e uma multa de 450.000 francos suíços (1,1 milhão de reais). Isso significa que o clube não poderá assinar nem na próxima temporada do verão europeu, nem no próxima de inverno, e só poderia voltar a incorporar jogadores a partir de junho de 2015.

"Constatou-se que a RFEF e o FC Barcelona violavam várias disposições relativas a negociação e a primeira inscrição de menores de nacionalidade estrangeira no clube, bem como outras normas relativas à inscrição e participação de certos jogadores em competições nacionais. As investigações versaram sobre vários menores inscritos no clube que participaram em torneios com a equipe durante várias temporadas entre 2009 e 2013", explicou a FIFA.

O máximo organismo do futebol mundial lembra a proibição de traspasos internacionais de menores de 18 anos

A federação argumentou que as sanções foram impostas "depois das investigações iniciais empreendidas pela FIFA Transfer Matching System (TMS)" durante o último ano e em virtude do artigo 19 do Regulamento sobre o Estatuto e a Transferência de Jogadores. Em um comunicado, o órgão máximo do futebol internacional lembrou que "as transferências internacionais de jogadores só são permitidas quando o jogador tiver mais de 18 anos" e que unicamente a Comissão do Estatuto do Jogador pode conceder exceções a esta norma. "No presente caso", explica a FIFA, "constatou-se que o FC Barcelona infringiu o artigo 19 do regulamento com dez futebolistas menores de idade e cometeu outras violações relacionadas a outros jogadores". Por estas "infrações graves" proíbe-se que o Barça assine contratos durante dois períodos consecutivos completos, e dá um prazo de 90 dias "para regularizar a situação de todos os jogadores menores afetados". O clube azul-grená assegurou que recorrerá contra a sanção e se cita o caso do Chelsea, que em novembro de 2009 foi punido com dois anos sem contratar depois de uma denúncia do Lens pela contratação de seu atacante francês Kakuta, de 17 anos. O clube inglês recorreu ao Tribunal de Arbitragem Esportivo (TAS) e o castigo foi retirado.

Em março passado, a FIFA já havia bloqueado a ficha de seis jogadores das divisões inferiores do Barcelona, todos menores de idade, como resposta a duas denúncias anônimas, supostamente procedentes de cada uma das federações. O veto afetou aos coreanos Lee Seung Woo, Paik Seung-Ho y Jang Gyeolhee (Cadete B), o francês Chendri (Cadete A), Adekanye (Infantil A), um adolescente com passaporte holandês de origem nigeriana, e ao camaronês Patrice Sousia (Infantil A). Na época, o clube catalão argumentou que, ao menos no caso dos três jogadores coreanos, epicentro da denúncia, foi a federação de origem que pediu um acordo para que as crianças se formassem em La Masia (casa da juventude do clube). A FIFA só admite a mudança federativa de menores em três situações concretas: que os pais mudem, por razões não relacionadas com o futebol, seu domicílio ao país onde o novo clube tenha sua sede; que a transferência se efetue dentro do território da União Europeia (UE) ou do Espaço Econômico Europeu (EEE) se o jogador tem entre 16 e 18 anos; ou que o jogador viva em sua casa natal a uma distância menor de 50 quilômetros da fronteira nacional. E é uma comissão da FIFA que deve aprovar essas operações.

Em março, a FIFA já bloqueou a ficha de seis futebolistas das categorias inferiores

A sanção ao Barcelona acontece quando, a partir do próximo verão europeu (inverno no Brasil), deveria acontecer a renovação em alguns postos, especialmente no gol, devido à saída de Víctor Valdés, machucado, e de Puyol, e as carências dos azul-grená na linha defensiva.

Com respeito à RFEF, a Comissão Disciplinar determinou que a federação também violou o regulamento e outras disposições relativas às transferências e primeira inscrição de alguns menores. Neste sentido, recebeu uma multa de 500.000 francos suíços e concedeu um período de um ano para que modifique seu enquadramento regulatório e o sistema de transferências de menores vigente.

MAIS INFORMAÇÕES