Recall do Galaxy Note 7

Samsung suspende vendas do Galaxy Note 7 por sobrecarga da bateria

Marca coreana reconhece que a falha em bateria e anuncia recall de aparelhos Smartphone foi lançado em agosto e seria vendido no Brasil a partir de setembro

AHN YOUNG-JOON / AP

A Samsung decidiu adiar sem data definida o lançamento de seu Galaxy Note 7, o mais novo smartphone de última geração da marca sul-coreana, e suspender a venda nos países onde já é comercializado, informaram ao EL PAÍS fontes do fabricante. O celular, que seria comercializado no Brasil e nos mercados europeus a partir de 9 de setembro, já é vendido em dez países asiáticos, como a Coreia do Sul.

MAIS INFORMAÇÕES

No total, foram produzidos um milhão de Note 7, e a empresa reconhece que ocorreram reclamações sobre 35 aparelhos em todo o mundo, mas a falha da bateria foi comprovada em somente 24 desses, disse a empresa em seu blog oficial.

Ao que parece, a bateria de alguns aparelhos esquenta quando é carregada e o telefone é reiniciado automaticamente. Em vários desses casos, a sobrecarga chega a “queimar” a bateria produzindo danos severos no celular, mas a empresa coreana não reconhece o caso de nenhuma explosão.

Alguns jornais coreanos afirmaram nos últimos dias que as baterias dos celulares explodiam ao serem carregadas, especialmente com carregadores não oficiais da marca. Na quarta-feira, a empresa explicou ao EL PAÍS que uma “quantidade mínima” dos aparelhos se reiniciava automaticamente sem que o usuário o fizesse, e os retirou de circulação, mas não confirmou os problemas nas baterias, que foram finalmente detectados.

Em vários desses casos, a sobrecarga chega a “queimar” a bateria, mas Samsung não admite que houve explosões

O gigante sul-coreano da eletrônica cancelará provisoriamente as vendas nos dez países onde o aparelho já é comercializado e oferecerá aos que adquiriram o Note 7 a possibilidade de trocar seu celular por outro modelo temporariamente, explicou Koh Dong-jin, diretor da divisão de telefonia celular da empresa, em uma entrevista coletiva. A data de lançamento nos outros países foi adiada.

A Samsung justificou a decisão dizendo que “a principal preocupação é a segurança dos usuários e a satisfação dos clientes, e a tranquilidade dos operadores e parceiros comerciais”, de modo que, mesmo que o número de afetados seja mínimo, a marca preferiu adotar essa medida, informaram ao EL PAÍS fontes ligadas à empresa.

O Korea Herald divulgou uma informação na terça-feira afirmando que a Samsung havia suspendido os envios de seu smartphone Galaxy Note 7 aos operadores de telecomunicações da Coreia do Sul após uma série de relatórios que alertava sobre a explosão de alguns aparelhos. A notícia caiu como um balde de água fria nos principais responsáveis da Samsung, que participam por esses dias da feira eletrônica IFA, a maior da Europa, realizada todo ano em Berlim.

Impacto no mercado

O Galaxy Note 7 bateu todos os recordes de pré-venda de um smartphone da Samsung no mundo. O problema detectado nos Galaxy Note ocorre em um momento especialmente delicado para a marca coreana, uma semana antes do lançamento do novo iPhone 7 pela Apple, sua principal concorrente, com o qual espera voltar a liderar o mercado de celulares de última geração. Após anos de luta infrutífera, os coreanos por fim haviam conseguido tirar da empresa de Cupertino essa liderança graças à bem-sucedida linha Galaxy S7 da qual o Note 7 é o último modelo.

No segundo trimestre de 2016, a Samsung não só consolidou seu lugar como o maior vendedor de smartphones no mundo, como aumentou a diferença que a separa da Apple, sua maior rival. O fabricante sul-coreano vendou 76,7 milhões de celulares entre abril e junho deste ano, 4,7 milhões a mais do que no segundo trimestre de 2015, e aumentou sua fatia de mercado em um ano de 21,8% a 22,3%, de acordo com os números da consultoria especializada Gartner.

Por enquanto, a avaria significou um duro golpe na capitalização da empresa nas bolsas de valores, que diminuiu em 7 bilhões de dólares (23 bilhões de reais), e pode afetar as previsões de lucro que, segundo vários analistas, precisarão ser revisadas para menos. A Samsung ainda não avaliou quanto pode lhe custar a suspensão de vendas do Note 7.

O Galaxy Note 7, um phablet de bordas curvas com lápis óptico cujas principais novidades são a resistência total à água e um escâner de íris ocular, é comercializado em mercados do mundo inteiro desde 19 de agosto.

Arquivado Em: