Editoriais
i

Erro do presidente Peña Nieto

Visita de Trump não apaga sua hostilidade contra o México

Peña Nieto e Trump durante a conferência de imprensa.
Peña Nieto e Trump durante a conferência de imprensa.YURI CORTEZ (AFP)

A visita de Donald Trump ao presidente do México, Enrique Peña Nieto, foi um erro grave de parte do presidente. Enquanto Trump usou a visita parar criar um status presidencial e reforçar sua imagem para os eleitores, Peña Nieto não recebeu nenhuma retificação ou promessa favorável ao México por parte do candidato republicano e apareceu como um líder fraco e sem pulso.

MAIS INFORMAÇÕES

A prova palpável é que apenas algumas horas após a entrevista, Trump reiterou as expressões de desprezo, xenofobia e racismo contra o México que marcaram sua campanha. Fez isso em um discurso sobre imigração no qual ofendeu o chefe de Estado mexicano quando, referindo-se ao muro que pretende construir na fronteira e consciente de que todo seu público sabia que tinha acabado de se reunir com Peña Nieto, reiterou que o México iria pagar pela sua construção, adicionando a frase jocosa: “Eles ainda não sabem”.

Trump começou sua carreira presidencial injuriando os mexicanos ao chamá-los de estupradores e traficantes de drogas. Seu projeto central — expulsão de imigrantes e muro na fronteira — significa o fim das relações com seu vizinho do sul. Ele nunca pediu desculpas por seus reiterados insultos à comunidade mexicana. Até protagonizou tentativas patéticas de se confraternizar com eles — como quando foi fotografado comendo tacos para provar que não tem nada contra os hispanos — o que, basicamente, são novas ofensas.

Em terras mexicanas, Trump voltou a demonstrar sua arrogância ao justificar sua proposta de que os EUA têm o direito de se defender, como se o México fosse uma nação hostil e que convém manter certa distância.

A figura institucional do presidente do México não merece ser manchada com semelhante companhia, por mais boa vontade e domínio que seja demonstrado. Aliás, o México se chama oficialmente Estados Unidos. Mas isso Trump ainda não sabe.

Arquivado Em: