Jogos Olímpicos

Lembranças que valem ouro

Fizemos uma seleção das memórias olímpicas dos nossos leitores

O atleta francês, Renaud Lavillenie, vaiado pela torcida foi medalha de prata e o campeão do salto com vara, Thiago Braz.
O atleta francês, Renaud Lavillenie, vaiado pela torcida foi medalha de prata e o campeão do salto com vara, Thiago Braz.Fernando Bizerra Jr. (EFE)

Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro houve instantes que vão ficar na memória dos brasileiros, como a história dos nadadores americanos, a polêmica envolvendo o saltador francês e as vaias no estádio olímpico, o apoio dos brasileiros a Usain Bolt, as vitórias dos nossos atletas e os cenários deslumbrantes da Cidade Maravilhosa. Mas antes que a Rio 2016 começasse, perguntamos aos nossos leitores nas redes sociais quais são os momentos olímpicos que marcaram suas vidas.

1. Ursinho Misha

"Quem não se emocionou com o choro do ursinho?", pergunta Darlene Costa Neizer. "Eu tinha dois anos e não parei de chorar, acho que até hoje", brinca Dafne Catsbury.  Grande parte dos nossos leitores elegeram como lembrança mais marcante o ursinho Mikhail Potapitch Toptygin, o Misha, mascote dos Jogos de Moscou em 1980. “Meu gato se chama Misha em homenagem ao ursinho inesquecível”, comenta Marisa Castilho. Não é para menos, ele é considerado o primeiro mascote olímpico a alcançar sucesso mundial. Na cerimônia de encerramento, foi feito um mosaico com uma imagem do Misha, que em determinado momento chora. As suas lágrimas emocionam até hoje.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

2. Ouro no vôlei masculino

Outro momento marcante foi a primeira medalha de ouro em esportes coletivos conquistada pelo Brasil. A medalha foi conquistada pela seleção masculina de vôlei em Barcelona em 1992. Renato Santana Santos contou que decidiu se tornar jogador de vôlei depois daquele dia. “Mudou minha vida”.

3. Clepsydra

Como é possível que os gregos conseguiram resumir a história de uma das civilizações mais antigas do mundo em poucos minutos? Pois foi isso que eles fizeram durante a abertura das Olimpíadas de Atenas, em 2004. O país, berço dessa disputa, deu uma grande aula de história. "A que mais me tocou foi a abertura de Atenas em 2004! Lembro que foi bem cênica, não tinha muitos efeitos modernos. Me arrepio toda só de lembrar", disse Tainã Tatte.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

4. Vanderlei Cordeiro de Lima

Atenas foi palco de outro grande momento para os brasileiros. Foi quando o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima foi derrubado pelo ex-padre Cornelius Horan. Vanderlei liderava a prova e foi atacado a apenas 6 quilômetros da linha de chegada. Ele ainda conquistou a medalha de bronze na prova e depois foi condecorado pelo COI com a Medalha Pierre de Coubertin. Em 2016, Vanderlei acendeu a pira olímpica no Brasil.

5. Dream Team do basquete norte-americano

A seleção de basquete norte-americana comandada por Magic Johnson nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992 é considerada até hoje como uma das melhores do mundo. Não por menos, alguns de nossos leitores indicaram o momento em que eles subiram ao pódio como uma das mais marcantes. “Nada supera o brilho nos olhos do Magic Johnson ao receber a medalha de ouro em Barcelona”, conta Leandro Paulo.

6. James Bond e Elizabeth II

Em 2012, na abertura das Olimpíadas em Londres dois personagens saltaram de paraquedas no meio do estádio. Eram ninguém menos que a Rainha Elizabeth II e o espião mais famoso do mundo, James Bond, interpretado pelo ator Daniel Graig.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Outras cerimônias de abertura também ficaram na memória dos leitores. "Eu tinha dez anos quando vi a abertura das Olimpíadas de Sidney, ao vivo. Ver todas aquelas cores, um país que tentava ser plural e, sobretudo, uma pira acendida debaixo de uma cascata d'água parecem ter sido fundamentais para eu ter me apaixonado pelas cerimônias de abertura das Olimpíadas e fazer questão de abordar isso em minhas aulas, agora que sou professor", diz Gustavo Glodes Blum. "As pegadas do gigante feitas com fogos de artifícios e os tambores chineses abrilhantaram a abertura mais bonita da história das Olimpíadas", opina Eder William Salvaterra.

7. E, para alguns, as vaias a Michel Temer

Nossos leitores também destacaram as vaias ao presidente interino Michel Temer. A tensão política refletiu durante a cerimônia de abertura no Rio, como na abertura da Copa em 2014. Apesar de que ele reduziu ao mínimo seu discurso, foi possível ouvir o protesto de centenas de brasileiros. Alguns leitores, como Cecília Nóbrega, ironizaram: "[Temer] falou mais rápido que a propaganda: 'Esse medicamento é contra-indicado em caso de suspeita de dengue".