Afinal, o que os cariocas pensam sobre receber os Jogos Olímpicos do Rio?

Moradores do Rio opinam sobre a olimpíada e falam sobre suas expectativas para os próximos dias e o futuro da cidade

  • O estudante e acrobata Guilherme Barbosa posa para a foto na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado se os cariocas se beneficiarão dos Jogos Olímpicos, Guilherme responde: “Os que conseguem alugar quartos em suas casas podem obter lucros adicionais, assim como os que trabalham na indústria do turismo. Mas a maioria das pessoas é abandonada com serviços de saúde e educação precários”. Se tivesse ocorrido uma votação, ele teria votado contra os Jogos Olímpicos.
    1O estudante e acrobata Guilherme Barbosa posa para a foto na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado se os cariocas se beneficiarão dos Jogos Olímpicos, Guilherme responde: “Os que conseguem alugar quartos em suas casas podem obter lucros adicionais, assim como os que trabalham na indústria do turismo. Mas a maioria das pessoas é abandonada com serviços de saúde e educação precários”. Se tivesse ocorrido uma votação, ele teria votado contra os Jogos Olímpicos. REUTERS
  • Danielle Bhering, enfermeira de 32 anos, opina sobre os Jogos Olímpicos: “Não estou satisfeita com os Jogos Olímpicos em um momento em que o país convive com violência, não quero deixar minha casa durante os Jogos”. E acrescenta: “É difícil aceitar esse grande evento com nossa Baía de Guanabara contaminada e a violência na cidade”.
    2Danielle Bhering, enfermeira de 32 anos, opina sobre os Jogos Olímpicos: “Não estou satisfeita com os Jogos Olímpicos em um momento em que o país convive com violência, não quero deixar minha casa durante os Jogos”. E acrescenta: “É difícil aceitar esse grande evento com nossa Baía de Guanabara contaminada e a violência na cidade”. REUTERS
  • Abner Lelis, taxista de 54 anos, opina sobre os Jogos do Rio: “Eu fico feliz que o governo tenha investido na melhoria do transporte e da infraestrutura, passo quase o dia inteiro dirigindo e é evidente que o trânsito melhorou”. Abner está preocupado porque “às vezes meus colegas, os taxistas, se aproveitam dos turistas, pegando os caminhos mais longos para deixar o valor do taxímetro mais caro”.
    3Abner Lelis, taxista de 54 anos, opina sobre os Jogos do Rio: “Eu fico feliz que o governo tenha investido na melhoria do transporte e da infraestrutura, passo quase o dia inteiro dirigindo e é evidente que o trânsito melhorou”. Abner está preocupado porque “às vezes meus colegas, os taxistas, se aproveitam dos turistas, pegando os caminhos mais longos para deixar o valor do taxímetro mais caro”. REUTERS
  • Jeymerson Pereira, açougueiro de 25 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado qual sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Jeymerson responde: “Não precisamos dos Jogos Olímpicos, precisamos de mais escolas e hospitais”. Também se preocupa porque nada irá para os pobres no Rio de Janeiro. “É preciso mudar o governo e começar de novo”.
    4Jeymerson Pereira, açougueiro de 25 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado qual sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Jeymerson responde: “Não precisamos dos Jogos Olímpicos, precisamos de mais escolas e hospitais”. Também se preocupa porque nada irá para os pobres no Rio de Janeiro. “É preciso mudar o governo e começar de novo”. REUTERS
  • Aline Santos, estudante de 23 anos, posa para a foto na cidade do Rio de Janeiro. Ao dar sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Aline diz: “Para mim os Jogos Olímpicos são sinônimo de arbitrariedade porque muitas pessoas foram desalojadas de suas casas para a construção dos parques Olímpicos. Sou totalmente contrária aos Jogos Olímpicos”.
    5Aline Santos, estudante de 23 anos, posa para a foto na cidade do Rio de Janeiro. Ao dar sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Aline diz: “Para mim os Jogos Olímpicos são sinônimo de arbitrariedade porque muitas pessoas foram desalojadas de suas casas para a construção dos parques Olímpicos. Sou totalmente contrária aos Jogos Olímpicos”. REUTERS
  • Manfred Kulitc, matemático de 49 anos, posa com seus cachorros no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos, pensa: “Os Jogos Olímpicos não me importam muito, esse país não tem infraestrutura para um evento como esse. Os problemas reais da população não foram resolvidos”. Manfred também está preocupado pela segurança dos turistas.
    6Manfred Kulitc, matemático de 49 anos, posa com seus cachorros no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos, pensa: “Os Jogos Olímpicos não me importam muito, esse país não tem infraestrutura para um evento como esse. Os problemas reais da população não foram resolvidos”. Manfred também está preocupado pela segurança dos turistas. REUTERS
  • Antônio Mariano de Azevedo, assessor político de 25 anos, posa para uma foto no Rio de Janeiro. Ao dar suas impressões sobre o Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos, Antônio disse: “O Rio de Janeiro não vai mudar depois desse evento. Para o governo a infraestrutura olímpica foi mais importante do que investir na melhoria dos serviços à população”. Também acrescentou: “Sou contra os Jogos Olímpicos, a cidade está em crise”.
    7Antônio Mariano de Azevedo, assessor político de 25 anos, posa para uma foto no Rio de Janeiro. Ao dar suas impressões sobre o Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos, Antônio disse: “O Rio de Janeiro não vai mudar depois desse evento. Para o governo a infraestrutura olímpica foi mais importante do que investir na melhoria dos serviços à população”. Também acrescentou: “Sou contra os Jogos Olímpicos, a cidade está em crise”. REUTERS
  • André Barros, gari de 44 anos, posa para uma foto no Rio de Janeiro. Sobre sua opinião dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, André responde: “Não posso me dar ao luxo de comprar entradas para a Olimpíada. Preciso trabalhar”. Depois acrescenta: “As pessoas serão beneficiadas pela melhoria do transporte público”.
    8André Barros, gari de 44 anos, posa para uma foto no Rio de Janeiro. Sobre sua opinião dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, André responde: “Não posso me dar ao luxo de comprar entradas para a Olimpíada. Preciso trabalhar”. Depois acrescenta: “As pessoas serão beneficiadas pela melhoria do transporte público”. REUTERS
  • Fernando Olivera, relojoeiro português de 68 anos, posa para a foto na cidade do Rio de Janeiro. Ao ser perguntado sobre os Jogos Olímpicos, Fernando responde: “A imagem internacional do Rio de Janeiro melhorará com os Jogos Olímpicos, como ocorreu com a Copa do Mundo. A violência passará desapercebida”.
    9Fernando Olivera, relojoeiro português de 68 anos, posa para a foto na cidade do Rio de Janeiro. Ao ser perguntado sobre os Jogos Olímpicos, Fernando responde: “A imagem internacional do Rio de Janeiro melhorará com os Jogos Olímpicos, como ocorreu com a Copa do Mundo. A violência passará desapercebida”. REUTERS
  • Cristiane da Silva, artesã de 33 anos, em uma das ruas do Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos, opina: “Acho uma vergonha realizar os Jogos Olímpicos nessa cidade onde nada é feito para os pobres, onde os serviços básicos de saúde e educação estão em situação precária”. Cristiane também acrescentou que o único benefício por abrigar os Jogos Olímpicos é a renovação do porto.
    10Cristiane da Silva, artesã de 33 anos, em uma das ruas do Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos, opina: “Acho uma vergonha realizar os Jogos Olímpicos nessa cidade onde nada é feito para os pobres, onde os serviços básicos de saúde e educação estão em situação precária”. Cristiane também acrescentou que o único benefício por abrigar os Jogos Olímpicos é a renovação do porto. REUTERS
  • Jorge Salomão, poeta de 70 anos, posa para uma foto na porta de um bar do Rio de Janeiro. Ao ser perguntado sobre a Olimpíada, responde: “Estamos passando por tantos momentos difíceis que os Jogos Olímpicos trarão um momento de alegria e confraternização nessa cidade que é a mais bonita do mundo”.
    11Jorge Salomão, poeta de 70 anos, posa para uma foto na porta de um bar do Rio de Janeiro. Ao ser perguntado sobre a Olimpíada, responde: “Estamos passando por tantos momentos difíceis que os Jogos Olímpicos trarão um momento de alegria e confraternização nessa cidade que é a mais bonita do mundo”. REUTERS
  • Diógenes Paixão, proprietário de um bar, opina sobre a Rio 2016: “Os Jogos Olímpicos atrairão muitos turistas em busca de diversão e entretenimento, mas eu só estou preocupado pela segurança nas ruas”.
    12Diógenes Paixão, proprietário de um bar, opina sobre a Rio 2016: “Os Jogos Olímpicos atrairão muitos turistas em busca de diversão e entretenimento, mas eu só estou preocupado pela segurança nas ruas”. REUTERS
  • Ducinea Rancheiro, vendedora ambulante de 48 anos, posa na Praia Vermelha do Rio de Janeiro. Ao ser perguntada de suas sensações sobre os Jogos Olímpicos, Ducinea responde: “Não sou uma pessoa que se identifica com o esporte, mas vai ser uma coisa boa porque as pessoas conseguiram emprego com a geração de postos de trabalho, especialmente no setor turístico”.
    13Ducinea Rancheiro, vendedora ambulante de 48 anos, posa na Praia Vermelha do Rio de Janeiro. Ao ser perguntada de suas sensações sobre os Jogos Olímpicos, Ducinea responde: “Não sou uma pessoa que se identifica com o esporte, mas vai ser uma coisa boa porque as pessoas conseguiram emprego com a geração de postos de trabalho, especialmente no setor turístico”. REUTERS
  • José de Jesus Damaceno, pescador de 75 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro e opina: “A cidade está em crise e não existem oportunidades para todos, o governo deveria ter mais cuidado com a população antes de ganhar dinheiro em um evento como esse”.
    14José de Jesus Damaceno, pescador de 75 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro e opina: “A cidade está em crise e não existem oportunidades para todos, o governo deveria ter mais cuidado com a população antes de ganhar dinheiro em um evento como esse”. REUTERS
  • Erinaldo Cardoso, artista de rua de 43 anos, posa para a foto em frente ao Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Sobre o que acha dos Jogos Olímpicos, Erinaldo responde: “Não vai mudar nada depois dos Jogos Olímpicos. Todos os que conhecem a realidade do Rio de Janeiro sabem que nem tudo é felicidade”. Também está preocupado pelo fato dos empregos gerados acabarem após os Jogos.
    15Erinaldo Cardoso, artista de rua de 43 anos, posa para a foto em frente ao Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Sobre o que acha dos Jogos Olímpicos, Erinaldo responde: “Não vai mudar nada depois dos Jogos Olímpicos. Todos os que conhecem a realidade do Rio de Janeiro sabem que nem tudo é felicidade”. Também está preocupado pelo fato dos empregos gerados acabarem após os Jogos. REUTERS
  • Silvana Batista, (esquerda), enfermeira aposentada de 49 anos, posa com sua mãe, Helena Batista, no Rio de Janeiro. Silvana e Helena têm medo e vivem em um bairro que sofre com o conflito entre quadrilhas rivais. Quando são perguntadas sobre os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, dizem: “Estamos vivendo tempos difíceis e violentos na cidade, o fato de que toda a segurança nas ruas possa não ser suficiente nos preocupa”. Também esperam que o evento seja um sucesso e que as pessoas que vêm à cidade tenham uma boa experiência.
    16Silvana Batista, (esquerda), enfermeira aposentada de 49 anos, posa com sua mãe, Helena Batista, no Rio de Janeiro. Silvana e Helena têm medo e vivem em um bairro que sofre com o conflito entre quadrilhas rivais. Quando são perguntadas sobre os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, dizem: “Estamos vivendo tempos difíceis e violentos na cidade, o fato de que toda a segurança nas ruas possa não ser suficiente nos preocupa”. Também esperam que o evento seja um sucesso e que as pessoas que vêm à cidade tenham uma boa experiência. REUTERS
  • Dayvison Nascimento, garçom de 25 anos, posa para a foto na praia de Ipanema. Sobre os Jogos Olímpicos Dayvison responde: “Espero que muitos turistas venham aqui aproveitar a energia da cidade e do evento”, mas está preocupado pelo fato da polícia não conseguir controlar de maneira eficaz a violência na cidade. Mas espera que o impacto dos Jogos Olímpicos seja positivo e o Rio de Janeiro melhore sua imagem internacional.
    17Dayvison Nascimento, garçom de 25 anos, posa para a foto na praia de Ipanema. Sobre os Jogos Olímpicos Dayvison responde: “Espero que muitos turistas venham aqui aproveitar a energia da cidade e do evento”, mas está preocupado pelo fato da polícia não conseguir controlar de maneira eficaz a violência na cidade. Mas espera que o impacto dos Jogos Olímpicos seja positivo e o Rio de Janeiro melhore sua imagem internacional. REUTERS
  • Israel Mario da Silva, relojoeiro de 59 anos, posa em seu local de trabalho, no Rio de Janeiro. Israel diz: “Não posso comprar entradas para os Jogos Olímpicos, já que são muito caras para mim”. Também espera que o impacto dos Jogos Olímpicos seja positivo uma vez que o Rio de Janeiro é agora uma cidade melhor pela melhoria dos serviços de transporte público e o Parque Olímpico.
    18Israel Mario da Silva, relojoeiro de 59 anos, posa em seu local de trabalho, no Rio de Janeiro. Israel diz: “Não posso comprar entradas para os Jogos Olímpicos, já que são muito caras para mim”. Também espera que o impacto dos Jogos Olímpicos seja positivo uma vez que o Rio de Janeiro é agora uma cidade melhor pela melhoria dos serviços de transporte público e o Parque Olímpico. REUTERS
  • Maria Callou, designer de moda de 35 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos em sua cidade, diz: “Estou contente pelos Jogos Olímpicos e acho que os problemas do país, como a corrupção e a violência, passarão desapercebidos durante o evento. Somos um povo hospitaleiro e sabemos como levar alegria e felicidade aos turistas”.
    19Maria Callou, designer de moda de 35 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos em sua cidade, diz: “Estou contente pelos Jogos Olímpicos e acho que os problemas do país, como a corrupção e a violência, passarão desapercebidos durante o evento. Somos um povo hospitaleiro e sabemos como levar alegria e felicidade aos turistas”. REUTERS
  • Dennis Claudinho, operário de 27 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro e diz: “Não posso comprar entradas para os Jogos Olímpicos porque são muito caras”. Dennis é muito otimista sobre as melhorias no serviço de transporte, e pensa que os cariocas se beneficiarão disso.
    20Dennis Claudinho, operário de 27 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro e diz: “Não posso comprar entradas para os Jogos Olímpicos porque são muito caras”. Dennis é muito otimista sobre as melhorias no serviço de transporte, e pensa que os cariocas se beneficiarão disso. REUTERS
  • Pedro Grapiuna, escultor de metais, posa para a foto em seu local de trabalho, no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado de sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Pedro responde: "É positivo que muita gente venha do exterior para experimentar o lado bom da cidade." Pedro também está preocupado pela violência e a infraestrutura precária.
    21Pedro Grapiuna, escultor de metais, posa para a foto em seu local de trabalho, no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado de sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Pedro responde: "É positivo que muita gente venha do exterior para experimentar o lado bom da cidade." Pedro também está preocupado pela violência e a infraestrutura precária. REUTERS
  • Gabriela Galvão, empresária de 40 anos, posa para a foto em sua casa no Rio de Janeiro. Gabriela opina: “A cidade do Rio de Janeiro sempre teve serviços ruins e a imagem de uma cidade confusa e violenta, mas durante os Jogos Olímpicos os turistas terão uma boa impressão, já que vêm em busca de diversão”.
    22Gabriela Galvão, empresária de 40 anos, posa para a foto em sua casa no Rio de Janeiro. Gabriela opina: “A cidade do Rio de Janeiro sempre teve serviços ruins e a imagem de uma cidade confusa e violenta, mas durante os Jogos Olímpicos os turistas terão uma boa impressão, já que vêm em busca de diversão”. REUTERS
  • Gilberto Rabelo, vendedor ambulante de 74 anos, posa na 'Escadaria do Selarón' no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado sobre os Jogos Olímpicos, Gilberto responde: "Os Jogos Olímpicos beneficiarão somente poucas pessoas". Também está preocupado pelo aumento da violência quando o evento terminar porque a segurança e a polícia nas ruas diminuirão.
    23Gilberto Rabelo, vendedor ambulante de 74 anos, posa na 'Escadaria do Selarón' no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado sobre os Jogos Olímpicos, Gilberto responde: "Os Jogos Olímpicos beneficiarão somente poucas pessoas". Também está preocupado pelo aumento da violência quando o evento terminar porque a segurança e a polícia nas ruas diminuirão. REUTERS
  • Marcos Da Costa, de 46 anos, posa na praia do Arpoador enquanto faz musculação, no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos, opina: “Não concordo com o Jogos Olímpicos enquanto os moradores do Rio sofrem com a violência, os serviços ruins de saúde, a insegurança e a construção de obras como a ciclovia mal projetada.
    24Marcos Da Costa, de 46 anos, posa na praia do Arpoador enquanto faz musculação, no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos, opina: “Não concordo com o Jogos Olímpicos enquanto os moradores do Rio sofrem com a violência, os serviços ruins de saúde, a insegurança e a construção de obras como a ciclovia mal projetada. REUTERS
  • Raquel Poti, artista de rua de 32 anos, posa em um parque do Rio de Janeiro. Raquel acha que os Jogos Olímpicos promovem uma forma de vida que combina esporte, cultura e educação. Ela é consciente do grande investimento feito para o evento ao mesmo tempo em que a população precisa de melhorias em seus serviços básicos.
    25Raquel Poti, artista de rua de 32 anos, posa em um parque do Rio de Janeiro. Raquel acha que os Jogos Olímpicos promovem uma forma de vida que combina esporte, cultura e educação. Ela é consciente do grande investimento feito para o evento ao mesmo tempo em que a população precisa de melhorias em seus serviços básicos. REUTERS
  • O artista Wilson Alexandre posa na entrada de seu estúdio na favela de Vidigal, no Rio de Janeiro. Wilson diz que não comprou entradas para os Jogos Olímpicos porque são muito caras. Ele diz que os Jogos Olímpicos são uma grande comemoração esportiva, com pessoas assistindo o evento em todo o mundo. Mas por outro lado, está preocupado com o despejo das pessoas dos bairros mais pobres, a corrupção e a má gestão financeira.
    26O artista Wilson Alexandre posa na entrada de seu estúdio na favela de Vidigal, no Rio de Janeiro. Wilson diz que não comprou entradas para os Jogos Olímpicos porque são muito caras. Ele diz que os Jogos Olímpicos são uma grande comemoração esportiva, com pessoas assistindo o evento em todo o mundo. Mas por outro lado, está preocupado com o despejo das pessoas dos bairros mais pobres, a corrupção e a má gestão financeira. REUTERS
  • Nathalia Souza, vendedora ambulante de 18 anos, posa no Rio de Janeiro e opina sobre a Rio 2016: “O Brasil deveria se preocupar primeiro em solucionar os problemas internos, tais como a violência e os serviços públicos ruins, em lugar de investir grandes somas de dinheiro em infraestrutura nos Jogos Olímpicos”.
    27Nathalia Souza, vendedora ambulante de 18 anos, posa no Rio de Janeiro e opina sobre a Rio 2016: “O Brasil deveria se preocupar primeiro em solucionar os problemas internos, tais como a violência e os serviços públicos ruins, em lugar de investir grandes somas de dinheiro em infraestrutura nos Jogos Olímpicos”. REUTERS
  • Mauricio Nava, skatista de 29 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos do Rio opina: “Existem melhorias visíveis na cidade, como o transporte público e os espaços de lazer, se não fossem pelo Jogos os cariocas não teriam nenhum benefício”.
    28Mauricio Nava, skatista de 29 anos, posa para a foto no Rio de Janeiro. Sobre os Jogos Olímpicos do Rio opina: “Existem melhorias visíveis na cidade, como o transporte público e os espaços de lazer, se não fossem pelo Jogos os cariocas não teriam nenhum benefício”. REUTERS
  • Xavier Fonseca, escultor de areia de 70 anos, posa para a foto na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado por sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Xavier responde: “É uma grande oportunidade para as pessoas que trabalham com o turismo”. Também pensa que os cariocas se beneficiarão das melhorias no transporte público realizadas antes do evento.
    29Xavier Fonseca, escultor de areia de 70 anos, posa para a foto na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Ao ser perguntado por sua opinião sobre os Jogos Olímpicos, Xavier responde: “É uma grande oportunidade para as pessoas que trabalham com o turismo”. Também pensa que os cariocas se beneficiarão das melhorias no transporte público realizadas antes do evento. REUTERS